O friozinho vem chegando e com ele…

 

tratamento gripe e resfriado infantil

imagem: shutterstock.com

Ahhh, com ele vem as inevitáveis doenças de inverno. A gama é imensa: vai de alergias a gripes e resfriados, tudo favorecido pelas temperaturas mais baixas e ambientes fechados.

É como diz aquele ditado: antes de ser mãe, o inverno são só delícias: momentos quentinhos, lareira, vinho… Depois dos filhos, se resume a idas ao pediatra e noites em claro!

E a situação pode ser ainda pior quando temos mais de um filho, pois ficamos em um ciclo vicioso gripal. Um pega e, quando está melhorando, passa para o outro, e depois para ou outro até chegar na gente! Cena de terror para mães: quando a casa toda fica gripada.

Para completar, a cada nova temporada aparece um vírus novo pra coleção. Logo, as possibilidades de sermos sorteados com mais de um ciclo de gripe, principalmente durante o outono/inverno, aumentam a cada ano.

Para evitar que as gripes ataquem a todo momento, há alguns cuidados básicos que podemos tomar:

Continue lendo

Por que NÃO furamos a orelha do bebê

 

furar a orelha do bebê

 

Como muita gente que nos segue nas redes sociais já deve ter percebido, Amelie não tem as orelhas furadas.

Como nem sempre está de laço na cabeça ou vestindo rosa tornou-se comum muitas pessoas a chamarem de “ele”. Aliás, isso até já me incomodou um pouco mas hoje, nem ligo mais.

Babi teve as orelhas furadas com uma semana de vida, em casa pois nos pareceu mais aconchegante. Ainda se fazia esse procedimento nas maternidades, mas eu não quis. Me lembro da dor que senti no estômago, como um soco, quando a ouvi chorar. Por mais rápido que tenha sido, ela choramingou, sentida, por horas depois.Eu tinha 20 anos e seguir a tradição me parecia a forma correta de proceder. Se todo mundo faz, farei também.

Ainda assim, me lembro de tudo aquilo ter me parecido bem brutal, uma violência mesmo, com quem não tem como se defender, tudo em nome de uma cultura.

Hoje, Babi tem outros furos na orelha por escolha dela e aos quase 15 anos em breve furará o tragus, a parte redonda no centro da orelha e que deve doer mooooooiiiito para furar. kkkk

Agora você deve estar se perguntando qual o motivo que nos levou a fazer essa escolha com a Amelie agora sendo que Babi já passou por isso,né?

Continue lendo

Vacinas: Mudanças e dicas para amenizar reações

 

shutterstock_276154772Imagem:Shutterstock

 

Há pouco tempo, o calendário de vacinas sofreu algumas alterações motivadas por mudanças na situação epidemiológica e por atualização rotineira na indicação de algumas vacinas.

As principais alterações que acontecerão nas carteiras de vacinação dos nossos pequenos, a partir de agora, são nas vacinas popularmente conhecidas como poliopneumo e meningo.

Fiz um post para Disney Babble Brasil completo contanto tudinho sobre essas alterações, acesse AQUI!!

Agora, que mãe não sofre com as picadas nos pequenos?

Os bebês até os 6 meses tomam vacinas todos os meses. E não são todas que causam reações após serem aplicadas; em geral, as que um bebê toma com 2,4 e 6 meses de idade são as mais propensas a isso.

Mas toda vacina pode, sim, dar uma reação. Elas vão de um leve vermelhidão, podem ficar doloridas no local da aplicação até os desconfortos maiores, como febre, dores pelo corpinho todo. Além disso, os bebês ficam chorosos.

Como lidar com as reações? Já adianto que será preciso muita paciência e tempo disponível para seu pequeno!

vacinas

Nesse post AQUI, lá em Disney Babble, tem outras dicas de como amenizar os desconfortos pós picada.

Para mim, esse sempre foi um momento muito delicado. Mesmo já tendo passado por isso outras vezes, ainda sinto aquela dorzinha do peito de ter que permitir que um ser tão pequeno e inocente sinta dor.

Bom, mas é para o bem deles, e de todos nós!

um beijo

favicon blog petit ninos

 

 

Tchau Anemia

tratamento anemia infantil

 

Desejo de mãe para os filhos: que eles cresçam com energia, força, e principalmente, muita saúde. Meu desejo de mãe para mim mesma: que eu tenha energia para aguentar o pique, força para carregar meus filhos no colo por muitos anos e, principalmente, muita saúde para aproveitar a vida ao lado deles.

Não preciso dizer que, para ter essas três coisas, o que a gente come faz muita diferença. Receber todo o aporte de nutrientes e vitaminas que são vitais nos permite ter uma vida ativa, com ânimo para aproveitar tudo. Pena que nem todos os dias são de pratos coloridos, daqueles que deixam o nutricionista orgulhoso… Pelo menos aqui em casa, às vezes eu preciso almoçar qualquer coisa para fazer algo do trabalho – o que evito ao máximo principalmente nessa época de amamentação!!!

Mas como garantir saúde e pique para tudo o que a gente precisa fazer? Tenho certeza que muita gente se lembra das propagandas de Biotônico Fontoura, com celebridades da época, ou que tomava ou conhecia alguém que não passava um dia sem uma colherada. É aquele tipo de indicação que passa de geração para geração para manter a saúde em dia. Os nossos avós tomavam, que indicaram para nossos pais e aí … chegou até nós. Me lembro que esse era o segredinho para abrir o apetite das crianças que não comiam bem.

Pouca gente sabe, mas desde 2002 foi retirado o álcool da fórmula original, tornando o produto 100% indicado para o consumo infantil. No entanto, como ele contém açúcar, não é indicado para diabéticos e menores de 2 anos

Produzido há 104 anos, Biotônico Fontoura é um dos medicamentos mais antigos do mercado farmacêutico, ele fez parte da minha infância! No nosso caso, era usado para estimular o apetite, mas ele tem outras indicações, como complementar a alimentação e evitar, além de combater, a anemia, pois é um suplemento de ferro. Aliás, não só de sulfato ferroso: também contém ácido fosfórico auxiliando na reposição da força e energia que precisamos todos os dias.

As anemias – insuficiência de hemoglobina no sangue – podem ser causadas pela deficiência de vários nutrientes, como vitamina B12, zinco, proteínas – sendo a falta de ferro no organismo a mais comum delas. Isso pode ocasionar quadros que vão de cansaço, fraqueza, falta de atenção, dificuldade de aprendizado até o atraso no crescimento.

Gestantes devem ter um cuidado especial com a anemia pois seus bebês podem apresentar baixo peso entre outras complicações. Lactantes também devem se atentar, pois estão entre o grupo mais acometido por deficiência de nutrientes.

Quem é mãe sabe bem das dificuldades de fazer uma criança se alimentar corretamente, e mesmo que a criança tenha bons hábitos há fases em que ficam mais seletivas. Portanto suplementação é uma arma poderosa para nos auxiliar nesses períodos. Converse com seu médico e dos seus filhos para fazer a suplementação adequada para cada um.

 

publicidade 2

 

favicon blog petit ninos

Cuidados na hora da troca

 

trocar a fralda do bebê

 

Apesar de pequenos – e fofos -, os bebês exigem muitos cuidados e com muita frequência. No início, depois de cada mamada , normalmente “ganhamos” uma fraldinha recheada para trocar. Isso acontece por conta do reflexo gastrointestinal, que faz com que o intestino funcione logo após a mamada. Com o passar das semanas, o sistema digestivo/intestinal vai amadurecendo e, então, as fraldinhas sujas vão ganhando mais intervalos.

Nesse início da vida dos pequenos, orbitamos entre a poltrona de amamentação e o trocador. É nesses espaços que vivemos as maiores emoções dessa relação que está se estabelecendo. Com o tempo, os horários vão se firmando e o ritual da troca se instala. Por aqui, fazemos em média de 6 a 7 trocas diárias. Nosso ritual começa após a mamada, depois de deixá-la alguns minutos no colo para arrotar. A Amelie já passa mais tempo com a mesma fraldinha e a combinação de umidade, fezes e calor faz com que eu tome ainda mais cuidado com a higiene dela, pois esse ambiente é ideal para proliferação de bactérias e fungos. Além da higiene, a segurança também é fundamental! Algumas dicas preciosas:

– Deixe tudo sempre a mão: os bebês, mesmo pequenos, não devem ser deixados sozinhos no trocador nem por poucos segundos.

– tenha um trocador “antiderrapante” e com bordas altas, assim o risco de queda é minimizado.

-cuidado com prateleiras e com decorações, além de utensílios que possam ser perigosos caso o bebê crescido os alcance.

-Troque a fralda sempre que necessário, evitando que ela fique úmida demais.

-Faça a limpeza sempre da frente para trás, principalmente nas meninas.

-Nunca aperte demais a fraldinha. Eu prefiro as marcas que possuem elástico na cintura.

-Converse com o seu pediatra para considerar o uso contínuo de cremes contra assadura.

 

trocar a fralda do bebê

Amelie adora o trocador e é nessa hora que conversamos bastante. Aproveito para mostrar os brinquedos que deixo ali por perto. Ela se sente segura nesse momento, já sabe o que vai acontecer e nunca chora.

Nas primeiras semanas de troca de fralda, utilizei JOHNSON’S® baby toalhinhas  umedecidas Recém-Nascidos (embalagem amarelinha) e também gosto muito  da linha Hora do Sono (embalagem roxinha). Agora, tenho usado as toalhinhas da linha “extra cuidado” . Todas essas toalhinhas ajudam a proteger a pele contra irritações e assaduras, proporcionam hidratação por até 7 horas e têm um perfume bem suave. Atualmente, os lencinhos da embalagem rosinha são os meus preferidos! Essa linha tem loção hidratante e ajuda na prevenção de assaduras desde o primeiro uso, hidratando e preservando as barreiras naturais da pele do bebê. A nova fórmula é hipoalergênica, testada dermatologicamente e não contém álcool. Como foram desenvolvidas utilizando a fórmula Chega de lágrimas, podem ser usado em todo o corpo do bebê, inclusive do rosto, ao redor dos olhos.

Além dos lenços, utilizamos o creme de assaduras DESITIN®, também da Johnson & Johnson e agora vende no Brasil =). Eu realmente amo e confio na segurança da minha bebê com esse produto! Por recomendação da pediatra, fui intercalando o uso entre as trocas e aos poucos aumentando a frequência, para a pele acostumar. Mesmo com esse calorão que andou fazendo, a baby nunca teve nenhuma assadura! Faço a limpeza com as toalhinhas umedecidas e finalizo com a aplicação de DESITIN®– inclusive nas dobrinhas.

trocar a fralda do bebê

 

E na sua casa? Como está a troca de fraldas? Qual ritual vocês seguem?

publicidade 2

favicon blog petit ninos

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...