Proteção é liberdade!

imagem: SHUTTERSTOCK

 

Já parou pra pensar sobre isso?

A gente quer proteger os filhos de tudo e, às vezes, esse nosso instinto pode garantir a vida deles. Para mim, esse é exatamente o caso da vacinação. A gente vacina porque nosso maior desejo é que as crianças cresçam e explorem o mundo da forma que quiserem!

E vacinação é um assunto muito sério. Apesar de tantas campanhas sobre o tema, na prática, vejo muita gente meio perdida. Primeiro porque há um mito de que tudo o que é particular no nosso país é melhor. Depois por causa dos grandes mitos que surgiram ao redor desse tema. Aposto que você já ouviu sobre as reações que algumas vacinas de campanha tiveram, ou sobre a relação de vacinas e autismo ou desenvolvimento de alergias.

No começo do mês, tive uma verdadeira aula com a pediatra Dra. Ana Escobar, a convite de GSK, para esclarecermos muitos desses pontos. Como o Theo tem asma, nunca bobeio com as vacinas dele. Então já aproveitei para tirar a maior dúvida de todas: está tudo bem fazer um mix entre o calendário de vacinação da rede pública e o calendário da rede privada? Faço sempre isso! Desde que as crianças nasceram, seguimos o calendário de vacinação do sistema público e fazemos as aplicações na rede particular de vacinas para Gripe e Meningite.

Assim como eu, sei que muitas pessoas seguem esse mesmo cronograma. Aqui a vacina de gripe é de extrema importância por conta dos problemas respiratórios do Theo (e, ao que tudo indica, Mel também tem asma! A gente não pode bobear!)

No encontro, a Dra. Ana esclareceu que a principal diferença entre os calendários é que, na rede pública, o foco é a erradicação de doenças e, portanto, proteção coletiva. Já na rede privada, o objetivo é a proteção indivíduo. Ainda assim, o nosso calendário brasileiro da rede pública é um dos melhores do mundo, com uma cobertura ampla e em constante mudança para se adaptar às necessidades.

E as reações das vacinas? A verdade é que vacinas de vírus vivo (atenuado) podem, sim, desencadear alguma reação, como se fosse uma versão beeeeeeem light da doença. Quanto ao caso de alguns tipo de vacinas desencadearem alergias (como APLV), a Dra. Ana nos esclareceu que é justamente o contrário! Vacinas são um chacoalhão no sistema imunológico, um estimulante. Sendo assim, é justamente o oposto! Quanto mais estímulos o sistema imunológico recebe, mais protegidos ficamos contra alergias. Achei isso tão interessante!

No mês passado, falou-se muito em Meningite, pois foi o mês de combate e informação sobre a doença. No sistema público, temos a cobertura de vacinas contra a Meninginte C, mas nós tomamos a Meningo B e a ACWY também, no particular. Não há problemas em tomar vacinas “repetidas” – então, se você já tomou a C no sistema público pode tranquilamente se proteger tomando ACWY, ok?

O mesmo vale para as campanhas! Está com dúvidas se tomou ou não alguma dose? Tome novamente!

É muito importante mantermos a carteirinha de vacinação em dia e mostrar para as crianças que proteção nunca é assunto para depois. Quero ressaltar aqui a importância de se proteger conta o HPV. Na rede pública temos doses disponíveis para MENINAS e MENINOS entre 9 e 14 anos! Não deixe de vacinar seu filho e filha! Por incrível que pareça, na sala da Babi, que tem 16 anos, só meninas tomaram. Nenhum menino! Isso é um erro, a incidência de câncer de pênis vem crescendo a cada ano, precisamos pensar nisso e proteger meninas e meninos!

Então, não se esqueça de deixar sempre as vacinas em dia e de consulta o site da Casa de Vacinas GSK, SBIM e SBP. Neles, está disponível o calendário completo de vacinação, que deixo aqui:

calendário vacinal 2018

 

Sempre debata com o seu pediatra qual o melhor esquema para que a cobertura seja a mais ampla e dentro das condições de cada um. Nós, adultos, também devemos receber reforços para Meningites, Hepatites, HPV, Gripe (manual) e reforço de tétano a cada 10 anos, principalmente.

Proteção é liberdade – e conhecimento também! Se informe, não deixe espaço para dúvidas, o assunto parece complexo, eu sei, mas quando a gente vai a fundo nas pesquisas desmistifica-se muita coisa!

O que ficou de mais importante para mim desse encontro foi que quem pode ampliar a cobertura e se proteger com as vacinas da rede publica contribui também, reduzindo as possibilidades de essas doenças chegarem até quem não pode tomar, seja por uma questão de saúde ( algumas vacinas não podem ser tomadas por grávidas e bebês com menos de 6 meses, por exemplo) ou mesmo, financeira. Quanto mais gente imune melhor!

Sobre a GSK: www.gsk.com.br

Dra Ana Escobar: www.draanaescobar.com.br

Sociedade Brasileira de Pediatria : www.sbp.com.br

 

blogpetitninos

Concurso meu futuro Campeão

shutterstock_81178285

Esse ano começou com muita inspiração para as crianças aqui de casa. Bárbara e Theo estão sendo estimulados pela escola a conhecer mais sobre as várias modalidades de esporte, mais sobre os países que virão para o Brasil e tudo que envolve os jogos de 2016 aqui no Brasil.
Com todo esse envolvimento, claro, eles estão muito interessados no assunto e trazem muitas discussões para casa.
Vocês se lembram do evento que participamos, Mel e eu, outro dia?

IMG_6326

A GSK promoveu um encontro muito legal com algumas bloggers, com as fotógrafas Anne Geddes e Simone Silvério e alguns atletas com deficiência decorrentes da Meningite da delegação brasileira. Esse encontro teve o objetivo de debatermos sobre a séria questão das doenças meningocócias e suas graves sequelas. Contei tudo aqui .
Para comemorar esse ano de jogos no Brasil, durante esse evento a GSK lançou o concurso “Meu Futuro Campeão”.
O concurso visa promover a temática esportiva e irá premiar as duas melhores fotos dos nossos futuros campeões, que serão escolhidas por uma comissão especial da GSK. Você não precisa comprar, curtir e nem seguir nada, ok? Basta postar no Instagram ou Twitter uma foto do seu pequeno de até 11 anos praticando esporte, com a hashtag #MeuFuturoCampeão entre os dias 21/03 a 24/04/2016.
Ah, o concurso irá selecionar dois sortudos! Cada um ganhará um ensaio com a fotógrafa Simone Silvério e um iPad.O concurso é válido em todo território nacional, portanto, participe sem moderação!
Fica valendo para a participação no concurso a primeira foto que você postar e chamar os amigos. Foi bem difícil escolher qual esporte iríamos retratar. Quem decidiu foi o pequeno:

IMG_6648

O regulamento completo você encontra aqui: Concurso meu futuro campeao
Participe também postando fotos de seus pequenos e vamos encher as redes sociais de crianças lindas praticando seus esportes preferidos!

*Concurso Meu Futuro Campeão. Concurso Meu Futuro Campeão. Participação válida da 0h do dia 21/03/16 até as 23h59min do dia 24/04/16 (horário oficial de Brasília), mediante a publicação no Instagram ou Twitter de uma fotografia de uma criança – com até 11 anos de idade – que retrate a temática “prática de esportes” utilizando a #MeuFuturoCampeão.
Para maiores informações, consulte o Regulamento no site : casa de vacinas gsk

CERTIFICADO DE AUTORIZAÇÃO CAIXA NO 3-0348/2016.

favicon blog petit ninos

publicidade 2

Vacinas: Mudanças e dicas para amenizar reações

 

shutterstock_276154772Imagem:Shutterstock

 

Há pouco tempo, o calendário de vacinas sofreu algumas alterações motivadas por mudanças na situação epidemiológica e por atualização rotineira na indicação de algumas vacinas.

As principais alterações que acontecerão nas carteiras de vacinação dos nossos pequenos, a partir de agora, são nas vacinas popularmente conhecidas como poliopneumo e meningo.

Fiz um post para Disney Babble Brasil completo contanto tudinho sobre essas alterações, acesse AQUI!!

Agora, que mãe não sofre com as picadas nos pequenos?

Os bebês até os 6 meses tomam vacinas todos os meses. E não são todas que causam reações após serem aplicadas; em geral, as que um bebê toma com 2,4 e 6 meses de idade são as mais propensas a isso.

Mas toda vacina pode, sim, dar uma reação. Elas vão de um leve vermelhidão, podem ficar doloridas no local da aplicação até os desconfortos maiores, como febre, dores pelo corpinho todo. Além disso, os bebês ficam chorosos.

Como lidar com as reações? Já adianto que será preciso muita paciência e tempo disponível para seu pequeno!

vacinas

Nesse post AQUI, lá em Disney Babble, tem outras dicas de como amenizar os desconfortos pós picada.

Para mim, esse sempre foi um momento muito delicado. Mesmo já tendo passado por isso outras vezes, ainda sinto aquela dorzinha do peito de ter que permitir que um ser tão pequeno e inocente sinta dor.

Bom, mas é para o bem deles, e de todos nós!

um beijo

favicon blog petit ninos

 

 

Theo, a Asma, a Rinite e os tratamentos { Rinite alérgica – Vacinas antialérgicas}



















Que vontade de ver ele sempre correndo feliz por aí!


Agora é novamente possível!

Finalmente descobrimos os causadores de crises tão fortes de Asma que o pequeno andou tendo!

Contei sobre isso e como tudo começou aqui!

Bom, muitas crises depois, muitas horas na espera e noites mal dormidas no hospital e algumas aplicações de adrenalina depois: Encontramos os vilões!!

E são eles:

em primeiro lugar… a Rinite alérgica.

em segundo lugar … a chupeta.


Diagnóstico feito e a gente sempre dá uma sossegada, não é?

Bom…não é não. ):


Eu sabia que a coisa aqui ficaria bem complicada.

Depois de fazermos os teste alérgicos, veio o resultado e ele apresentou alergias diversas.

Gabaritou o exame…todos os itens vieram marcados com um “X” maiúsculo…e claro entre eles, alergia aos Pelos de Gato.


Temos um bichano lindo e não tenho a menor intensão de me livrar dele…tá ai o problema numero 1.

O segundo problema…A CHUPETA. Já havia pedido para o papai noel levá-la,acontece que depois de uma noite de muita gritaria e abstinência da tal…papai noel enviou-a de volta. E foi por sedex 5 min que ela voltou para casa. =/


Bom sobre a chupeta o Dr. Rui Almeida Coatti, Alergologista e Pneumologista aqui da cidade de Campinas, me explicou que o bico da chupeta,independente do formato causa um afundamento, uma pressão no céu da boca e isso afunila ainda mais a passagem do ar. Como sempre antes da crise asmática ele apresenta um quadro de renite,ou seja uma inflamação,essa passagem já está prejudicada e se agrava,diminuindo muito com a pressão que a chupeta exerce. Ou seja…a chupeta ficou lá no consultório. Ele chorou…eu chorei. Chorei porque sabia que estava errada, deveria ter tirado a chupeta de nossas vidas antes. O DR. Rui ainda me disse que não é contra a chupeta, mas que ela só é aceita até os 18 meses… não mais que isso.
Já tinha passado por isso uma vez e sabia as dificuldades que teríamos pela frente, logo agora antes de uma longa viagem. Eu confesso que a chupeta era minha aliada, um calmante quando saímos de casa, ele sente mais falta quando quer dormir no período da tarde do que a noite.
Um problema resolvido!( mesmo que essa solução me cause mais mil outros problemas)
Agora e para tratar a Rinite? Tipo…ninguém leva meu gatinho daqui!! Entendido??

Foi-nos apresentada uma solução que eu desconhecia até então: Vacinas Antialérgicas.
Você já conhecia??

Para o tratamento da Rinite existem alguns passos: higiene do ambiente, ou seja, tudo deve estar livre de poeira,pelos e ácaros…colchões e travesseiros com capas protetoras, passar sempre pano úmido no chão ao invés de usar o aspirador de pó, promover a circulação do ar e a entrada de luz solar.
Pode-se também fazer uso de medicamentos para controlar os sintomas, mas claro…a base der muito corticosteroides. (no thanks!)
Nos restou aderir a vacinação.

“Quando o tratamento feito nestas condições (higiene ambiental e medicamentos) falha, pode-se associar o uso de vacinas antialérgicas. Esse tratamento é longo, porém, quando feito corretamente, diminuí a sensibilidade do doente àquela substância ao qual era alérgico. Muitas vezes, chegamos ao ponto em que não há mais necessidade do uso de medicamentos”
                                                                                                                                       Dr. Drauzio Varella

Bom e estamos na 5 semana! O tratamento é longo, e as picadinhas semanais. Fomos orientados a fazermos nós mesmos em casa.  Sempre na parte traseira do braço, 4 dedos acima do cotovelo, onde existe menor sensibilidade, e fazendo o revezamento dos braços.



Compramos essas seringas especiais ( pia do banheiro “a La” Lívia Marine) e a vacina deve ser mantida sempre resfriada, guardada em um potinho sempre no fundo da geladeira onde a temperatura não oscila. As doses aumentarão conforme as semanas vão passando. Anotamos as doses e o braço da aplicação em uma carteirinha.

Estamos bem satisfeitos com os resultados.

Apesar do pouco tempo de aplicação (esse tratamento durará mais de ano),esse tempo seco e um prédio em obra aqui no terreno ao lado, não tivemos mais crises, nem nariz coçando ou olhos inchados.
Aderimos ao uso do ADF, uma solução acaricida que elimina não só os ácaros mas também fungos e bactérias (como eu vivi sem isso até hoje??).



É só borrifar por todo o ambiente, não é tóxica. É preciso o uso contínuo para otimizar os resultados, mas ele já começa a agir em 15 minutos, por isso está lá na nossa mala…na próxima viagem vamos levar nosso pequenos estoque!!! (:

Recomendo SUPER para quem tem um quadro parecido ao do Theo.



E graças a Deus seguimos aqui assim…em paz com os ácaros!

Conto mais novidades sobre esse tratamento em breve!

XOXO


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...