deixe com ele // sobre paternidade

paternidade ativa

fotos: Débora Silveira Fotografia

 

O peso do mundo, as responsabilidades e a rotina, tudo isso fica mais leve quando a gente divide. Parece justo e fácil, mas nem sempre é. Muitas vezes nos sabotamos e acabamos por puxar todo esse peso para as nós mesmas, subindo a ladeira com as responsabilidades nas nossas costas.

A maternidade é um experiência que muda todo o universo de uma mulher desde o início da gravidez. É o corpo dela que irá mudar, será ela que passará por toda a gestação, por toda a mudança hormonal … será que ela que trará uma nova vida ao mundo.

Por mais conectado que seja um pai durante essa experiência não dá pra negar que a nossa ligação, de mãe, com os bebês se inicia muito antes do que a dos pais.
Não se trata aqui de dizer quem “vale” mais para o bebê e sim de constatar que : é fato que é a mãe que tem uma ligação maior com bebê nesse início.
São os meses de gestação, depois a amamentação e os maiores cuidados que geralmente ficam concentrados nas mãos da mãe. Claro que há as situações de exceção mas no geral, é assim que funciona.
Por natureza, muitas mulheres tendem a tomar para si essas responsabilidades e por estarmos no controle acabamos atropelando as investidas dos pais e assim, aos poucos, podemos contribuir para “minar” a conexão entre bebê e o pai.

 

paternidade ativa

 

Não é por mal que o fazemos mas eu mesma sempre acreditei que faço tudo mais rápido e melhor do que meu marido, acho que você deve achar o mesmo. E se por aí é diferente ( wow, ainda bem!) sei que conhece casos como o meu.
Conversando com uma amiga outro dia falávamos justamente sobre isso, como muitas vezes acabamos inconscientemente tirando oportunidades dos pais exercerem as mesmas funções que nós.
É importantíssimo não só para o vínculo entre eles mas também para que o bebê entenda que não é só a mamãe que pode atendê-lo me suas necessidades.
Incentivar que os pais tomem à frente dos cuidados com o novo bebê é benéfico para a família toda pois tira dos ombros da mãe todo o peso, principalmente do início, e isso contribui para diminuir os conflitos dessa fase.
Podemos e devemos incentivar essa ligação.

 

paternidade ativa

paternidade ativa

paternidade ativa

Deixar de lado a perfeição, não palpitar durante a realização dos cuidados, deixar o pai livre e com a total responsabilidade são maneiras ideais para que eles iniciem essa conexão.
Você terá a sensação pelo resto da vida que faz tudo melhor do que o pai do seu filho, pode acreditar em mim, mas vai descobrir que em muitas coisas ele se sairá tão bem quanto você. Não vou dizer que ele se sairá melhor só para mantermos o controle, ok meninas?? kkk

Brincadeiras à parte, deixar os pais serem pais é muito bom para todos e faz com que as tarefas com o bebê ou criança sejam melhor divididas,bem como o tempo para cada um, pai e mãe, pode ser melhor equilibrado o que deixará todo mundo muito mais relaxado e feliz durante esse início e para todas as próximas fases.

Pode ser que você precise se policiar ou dar um empurrãozinho de incentivo, não importa muito. Acredito que os fins justificam sim os meios nesses casos, ninguém é obrigado a nascer sabendo ou ter sido criado para encarar a divisão de tarefa da criação dos filhos de forma mais justa. Seria o ideal? Sim , mas não é o real. Não se culpe se acontecer com você o que com certeza acontece na maioria das vezes: talvez você precise encorajar e depois deixar que as coisas fluam.

 

Pais felizes , crianças  felizes!

Fotos: Débora Silveira Fotografia

blogpetitninos

dia a dia de mãe // looks reais

Plena, né?? Mas esse momento é tão exceção depois que os filhos nascem. Não tem como escapar… o dia a dia, vai te pegar!

Acorda no susto, corre pra lá e pra cá em menos de um segundo. Arruma, troca, levanta bolsa entulhada, empurra carrinho pesado de um lado para o outro.

Põe na cadeirinha do carro, tira da cadeirinha do carro, prepara a comida, dá a comida, limpa a meleca toda, dá banho. Aperta o botão para repetir tudo outra vez.  Xiii isso aí é só um resumo !

Fala sério? O dia a dia de mamãe não é nada lindo e tranquilo como a gente teima em querer acreditar quando vemos fotos de #lifestyle que insistem em nos vender uma calmaria irreal. O dia a dia de mãe é correria pura!

Isso não temos como negar, a rotina de quem cuida de casa, filhos e toda a logística da família é por vezes mais puxado do que a vida dos pais que trabalham fora. Mas nos dois casos correia é palavra de ordem e praticidade é o segredo para manter as coisas no lugar.

A boa notícia é que fazendo boas escolhas dá pra se manter super estilosa em meio a toooda essa bagunça que é a vida de uma mãe.

Existem vários pequenos truques que podem te ajudar a coordenar as peças do seu guarda-roupa e conseguir manter looks descolados e ao mesmo tempo confortáveis.

Hoje não falarei sobre esses truques mas prometo voltar com essa pauta completa, acompanhem por aqui porque esse post já está no forno de produção.

Hoje vou convidar vocês para uma espiadinha no meu instagram, mais especificamente na hashtag especial que criei somente para compartilhar algumas ideias de looks que uso, realmente, no meu dia a dia. Dia a dia de mãe que corre contra o relógio! Lá no instagram posto todos os meus looks em #LooksDaMarininha .

Ah, antes de mais nada quero dizer que nunca me obrigo a estar arrumadinha, de verdade, tem dias que tô zero “a-fins” e me permito sair quase que de pijama , não sem antes fazer aquela reza forte para Deus me deixar invisível no caso de encontrar algum conhecido. Aliás, mesmo Deus sendo bom, as vezes, nem um milagre da jeito quando você mora no interior. Fato!

Agora, tem dias que quero e preciso estar alinhada e para isso ser possível já tenho alguns looks que são coringas para isso. A maioria uso com tênis ou rasteira nas ocasiões que pedem um salto, descobri o salto médio da Arezzo e Schutz … vida gente! vida para a vida de mãe!

Vou mostrar alguns looks aqui para vocês mas já os convido para ver mais em @blogpetitninos , meu perfil no Instagram, estamos chegando aos 40 mil seguidores e estou muito feliz!

Definitivamente essa modelagem me pegou, calça Clochard é uma das peças mais fáceis de dar certo com quase tudo. Investi ( pouco porque essas peças foram garimpadas na José Paulino…olha aqui: youtu.be/fafk ) em duas cores que vão conversar com muitas outras partes do meu closet, Uma preta e outra em azul jeans.

 

 

Ah, como vocês já puderam ver no primeiro look, é difícil falar de mim sem falar de listras, né? Eu sou viciada! Tenho de várias cores mas P&B são minhas grandes paixões. Aliás amo um pretinho em diversos casos …

Num look despretensioso de saia midi com tênis branco, por exemplo. Sério, muito conforto e eu recorro a essas peças sempre quando preciso estar um pouco mais arrumada ao mesmo tempo que sei que vou ter que ficar no agacha, senta, levanta … pega no colo com a senhora Mel. Sabem como é, tenho certeza que sabem!

E daí que uma apaixonada por P&B não poderia ter vivido nada além de uma amor de estação chamado Vichy. Ok, eu sei que é daqueles clássicos que vão e voltam, sempre revisitados mas eu particularmente pego bode quando vejo muito de uma estampa e por isso gosto de não investir muita grana nessas macro tendências, sendo assim, recomendo muito dar aquela espiada nas lojas mais populares. Você nem vai acreditar no que pode garimpar! Essa saia aí de cima, paguei 34,00 reais, um tecido super bom e pasmem, vi iguaaal em uma marca descoladinha custando ozóiodacara!

Muito cuidado ao relacionar roupa barata com roupa porcaria. Tem muita coisa de boa qualidade sim, você pode pagar um preço justo por não estar investindo em uma “etiqueta”, muitas vezes, pra esse tipo de peça que logo mais você vai enjoar, vale a pena. Lembrando que peça boa que a gente não aguenta mais ver…a gente passa pra frente, doa e faz o mundo girar!

E daí…o all black.Tricozão, couro e scarpin salto médio suuuper mara da Arezzo que falei lá pra cima. Sério, esse é o salto que qualquer mãe consegue usar quando quiser se sentir mais arrumada.

 

 

Para terminar, mas não menos importante duas coisas que eu tenho amado: Conjuntinho e Macacão. Acho que alonga a silhueta, modela o corpo e dá aquela impressão de que você tá arrumadinha e que pensou no que vestir mas na verdade, minha amiga, você só puxou um cabide e … pá! O macacão que estou amando é de crepe e todo forrado, não marca absolutamente nada e tem bojo, quando preciso estar em um ambiente mais formal é só jogar um blazer ou colete sob o tomara que caia e tá tudo certo!

O conjuntinho que estou amando é de suede e com calça flare que me alonga pois sou baixa, tenho 1,64mts e acho que isso me dá sempre segurança. |Aliás, se fosse fazer um pedido/reclamação pra Deus: poxa…não tinha uns centímetros a mais para me dar ? Sério, queria muito estar na casa dos 1,70, acho que minha vida seria melhor, ainda mais quando a gente ganha aqueles 3..4..5 kgs no final do ano. affff

 

Bom, por hora é isso! Esses looks estão todos lá no meu instagram que é @blogpetitninos , me sigam por lá, indiquem para as amigas pois quero muito chegar aos 40k logo! Vamos juntos alcançar essa marca?

Se tiverem alguma dúvida ou sugestão de post : petitninos@hotmail.com , vou amar receber uma mensagem sua!

blogpetitninos

 

Produtos legais no Verão

Estou dando Graças a Deus que esse Verão está sendo dos mais amenos. Para cada dia escaldante temos muitos outros de temperaturas mais leves, chuvinhas e tudo o que mais gosto nessa vida.

E sei que parece estranho ser assim nessa terra ensolarada e cheia de pessoas que amam o calorão. Bem, eu sempre preferi o frio ao calor.

Mas claro que uns dias de Sol quando estamos na praia ou piscina caem sim muito bem, o que não me agrada é tostar no calor quando estou presa aqui em casa, na rotina do dia a dia.

Bom, posso não amar mas também não dá pra evitar o Verão, então, é isso que faço!

Gosto muito de mudar alguns cuidados e produtos conforme as estações do ano, tenho algumas coisas que são para proteger pele e cabelo das agressões do frio, por exemplo. Outros produtos com fator de proteção que só utilizo no verão mesmo.

Esse ano estava separando meus produtos, vendo o que ainda estava na validade e o que já estava fazendo hora extra por aqui e quando terminei resolvi que seria legal compartilhar um pouco do que vai fazer parte dos meus dias na próxima estação.

Não é nada demais, mesmo, já aviso!!

Mas como eu adoro assistir a esse tipo de conteúdo, achei que valia gravar e mostrar pra vocês:

 

E vocês? Também procuram usar os produtos dessa maneira, separando por estações? E sobre a validade dos produtos?? Eu acumulo muita coisa e quando vou ver já tá vencido…preciso fazer limpas de tempo em tempos … com menor espaço de tempo! hehe

 

blogpetitninos

 

Fiz mas não faria outra vez!

A gente muda, que coisa boa!!

Costumo dizer que a vida é maravilhosa pela oportunidade que temos de sempre aprender coisas novas. Não dá para estacionar no tempo, nas opiniões ou nas práticas.

A gente muda porque o mundo muda. Isso é ótimo!

Todas as mães têm, com toda certeza, uma listinha que coisas que fizeram um dia com os filhos mas que não fariam de novo.

Convidei duas pessoas que têm jeitos de maternar diferentes do meu para falarmos algumas coisas que faríamos diferente. Adorei tanto que já quero repetir a dose!!

Paola do blog Maternidade Colorida e Sabrina do blog Jeitinho de Mãe me inspiram justamente por serem diferentes de mim. Procuro sempre ter no meu círculo de amizades essa “variedade” de amigas, assim a gente pode aprender com os acertos e até com erros, não é?

Adoro essas meninas, são inspiração e ainda por cima são boas de conversa!!

Confira nosso vídeo:

 

Queremos saber de vocês!! O que você mudaria? O que fez e não faria outra vez? O que não fez e faria??

Ah, aproveita para se inscrever nos nossos canais e nos seguir pelo Instagram:

@blogpetitninos // @maternidadecolorida // @jeitinhodemae

 

blogpetitninos

E o Terrible Two ?

terrible two

Não dá pra negar que essa fase dos dois anos, chamada de terrible two, assusta muito quando a gente escuta as histórias de pais e mães por aí.

O início das chamadas cenas de birras são causadas pela dificuldade das crianças em lidar com suas frustrações e, pelo que observei com meus filhos, a intensidade do “piti” é proporcional ao sono ou cansaço do momento, geralmente.

O que percebi nesse tempo todo é que o que acontece de fato é: quando o bebê já entendeu que é um “ser” que pode demonstrar todos os seus sentimentos, quando ele quer dizer algo somado a alguma situação adversa ( sono, cansaço) ou se ele é contrariado … é daí a coisa pode desandar. Essa combinação pode ser uma bomba comportamental, termo que nem existe, inventei agora! hehe

É um combinação de fatos que precisa acontecer e isso não acontece só aos dois anos de idade. A Mel começou a andar e falar suas primeiras palavras muito cedo (por volta de 10 meses ela já deu seus primeiros passos), penso haver aí uma forte ligação entre esses fatos.

É isso aí, uma hora ou outra vai acontecer com você também, acredite, nenhum pai ou mãe passa pela jornada de criação de filhos sem ter que lidar com essas situações.

Então, por que rotular essa fase de descobertas tão linda que é a dos 24 meses definindo-a apenas como difícil e cheias de birras??

 

terrible twoterrible two terrible two

Já tem um tempo que decidi não rotular nem as crianças e nem as fases delas, acho que fazer isso é condenar uma fase ou outra, é como já colocar uma carga negativa . Agora eu sei que uma fase dessas ” já classificadas” pode chegar muito antes do tempo ou muito mais tarde, ou seja, cada criança é uma e não são definidas pelas fases pelas quais vão passar.

Hoje entendo que os dois anos não são terríveis, muito menos as crianças de dois anos são difíceis. O mundo vai ganhando outra proporção para esses pequenos e eles precisam entender qual o seu papel e como tudo funciona. Aprendi que nem tudo pode ser resumido ao termo “birra”, muitas coisas são simples teste de limites.

Muito semelhante com a adolescência, fase da qual já tive muito medo e que já me vi rotulando muitas vezes também.

Eu não sou psicóloga, não estudei comportamento infantil mas, já passei por tantas coisas com as crianças que hoje acho mais fácil encarar dessa maneira. Facilita para Mel e para mim também, nessa hora com consciência do que ela está vivendo sou capaz de contornar as situações com muito mais empatia do que quando eu acreditava que tudo era birra, culpa dos dois anos.

Não é sempre fácil, não sou a pessoa mais paciente do mundo, mãe iluminada e muito menos cheguei na perfeição mas com toda a certeza agora, no terceiro round do meu maternar sou sim mais preparada para essas situações. Posso ainda me perder no cansaço de alguns dias mas tenho a consciência do caminho a ser tomado.

Nada como o tempo e um pouco de experiência – bate cabeça – para nos fazer ter mais leveza na vida, né? Sinto que esse é o grande presente surpresa do tempo, ele passa rápido demais e, por vezes, o acho cruel mas no final das contas é graças a ele que aprendemos a ser melhores.

Estamos de coração aberto para os dois anos da #GLAMelie.

blogpetitninos

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...