Como escolhemos os nomes das crianças?

escolher nome dos filhos

Como escolhi os nomes dos meus filhos? Essa pergunta sempre me foi feita, acho que por curiosidade natural e também por serem nomes fortes. Bárbara, Theodoro e Amelie. Babi, Theo e Mel. Bárbara é o mais comum deles, Theodoro já existem muitos hoje em dia, depois de aparecer em muitas listas de tendências para nomes nos últimos anos e Amelie é o mais diferentão deles, muita gente me pergunta como se pronuncia, inclusive.

Fiz uma sequência de post para contar um pouco sobre a escolha, resumidamente, e contar o significado de casa nome.

siginificado nome Bárbara

Bárbara, não foi fácil chegar a esse nome. Primeiro porque eu tinha muita certeza que esperava um menino e nenhuma ultra me deu super100% de certeza no início, era muito provável ser menina mas eu tinha certeza que era menino, as ultras eram péssimas 17 anos atrás e ela passou boa parte da gestação sentada. Decorei o quarto com tema fundo do mar, verde e azul. Os nomes que eu tinha escolhido para meninos: Lucas e Vinicius. Pra mim era um ou outro, pro Bruno nenhum dos dois era legal. Tinha tanta certeza que combinei com Bruno que ele poderia escolher o nome se fosse menina, assim ele não opinaria na minha decisão! 😂 Dai ele me veio com várias opções mas não chegávamos a um consenso . Queríamos um nome exclusivo, não queria associar a ninguém que conhecíamos. Chegamos em Rebeca ( eu amava) e Luiza ( minha mãe amava) . Bruno não gostava de nenhum. Um dia com mais probabilidade de ser menina pela ultra ele sugeriu Barbara. Amei na mesma hora. Acrescentei um acento agudo pra dar um charme e já institui o apelido: Babi. O apelido pegou tanto que na escola ela sempre foi Babi. Virou Bibi por um tempo, meu afilhado Léo começou a chama-la assim quando era pequeno. Theo também a chamava assim quando começou a falar. Memel começou a tagarelar cedo e então, Babi virou Bibizi . Achei tão fofo que às vezes ainda usamos. Mas Bárbara é sempre Babi por aqui, um apelido delicado como ela é.

// Bárbara significa: selvagem guerreira, que luta pelo que acredita e persegue seus sonhos //

Quando li essa definição tive certeza que era ela soprando pra gente o nome que queria. Acredito muito nisso 🖤Por esses dias vou contar como escolhi e sobre cada um dos nomes do meu trio

significado nome Theodoro

Preciso lembrar que Babi seria filha única , até que … ops, ficamos grávidos pela segunda vez!🖤 Queria um nome forte pra combinar com Bárbara assim que soube que seria um menino. Óbvio que Bruno sugeriu colocar o nome dele, mas na na não 😂, eu queria um nome só do meu baby boy. Me encantei por Max. Problema na vida: tudo que é meu sempre teve que dar “match” e Max era um nome lindo mas que “não dava apelido “. Precisava de um apelido pra combinar com Babi. Sugeri Maximo, apelido Max, e ninguém curtiu ( nem me venham! Kkk ainda amo esse nome, quem sabe num quarto bebê, né? 🤗 ). Pensei em Teodoro mas ele estava lá no final da lista, tinha Bernardo no topo. Sem nome definido ainda, estávamos vendo fotos antigas na minha sogra e caiu no meu colo a foto de um homem alto e forte, era o avô do meu sogro – ou avô do pai do pai do meu sogro, enfim já não lembro – Theodore Breithaupt . Tinha que ser, né? Ele já tinha soprado pra gente o nome dele mas como eu não dei ouvidos ele jogou em mim ! Achei lindo, nome de um alemão forte e que poderíamos chamar de Theo. Minha mãe queria só Theo. Optei por “abrasileirar” para Theodoro porque o coitado teria que passar a vida explicando o nome e depois soletrar o sobrenome, que dó, Breithaupt parece nome de vírus! Na minha cabeça a grafia sem o H era bonita mas, então, li em um site que pela numerologia deixar o H o faria um menino mais calmo, gostei da ideia e deixei. Claro, nem preciso dizer que não funcionou! Kkkk

// Theodoro tem origem grega e significa Presente de Deus, Dádiva Divina //

Ele é! Foi mesmo um presente pra Babi que pedia um irmãO. Ela sempre falava que iria chegar um menino. Ele já chegou derretento todos nós quando abriu esses faróis na maternidade! Sério, nunca vi um RN com olho tão azul como eram os dele.

siginificado nome Amelie

Sempre achei que o próximo filho teria o mesmo sexo do último. Achei muito que o terceiro bebê era um menino, o que facilitaria minha vida na hora de decorar o quarto deles e de reaproveitar itens de enxoval. Mas pra quê facilitar, né vida? Intercala entre menino e menina pra ficar mais complis ! Assim que descobrimos que seriamos pais pela terceira vez fiquei com dois nomes na cabeça: Maximo e Martina, Max e Nina seriam os apelidos ( volta aí nos posts antes desse pra entender o “toc” com os apelidos, pra combinar tudo). Ninguém curtia. Quando soubemos que era menina fiquei com Martina e Melissa na cabeça. Babi falava muito em Amélie porque somos apaixonadas pelo filme “O fabuloso destino de Amélie poulain” mas no primeiro momento tive dúvida pela grafia difícil. Demoramos a decidir o nome, ela foi #Baby3 por um tempão por aqui e lá no  eu isntagram até que um apelido ganhou meu coração: Mel. Servia pra Amelie e pra Melissa. Quem bateu o martelo foi Bruno, na sugestão da Babi e tirado do filme que amo. Casou! Tirei o acento agudo, já sabem, sobrenome complicado e ela ainda tem uma grafia diferente ( um “e” que não se pronuncia ) . Por fim amei porque assim cada um tem uma frescura : Bárbara tem acento , Theodoro tem H e Amelie tem um “e”… tudo desnecessário 😂😂😂🙈! Já fiz as escolhas seguirem um padrão de loucura!

// Amelie tem origem alemã ou francesa, não sei ao certo, existe as duas possibilidades e significa mulher trabalhadora, ativa, parceira //

Ganhou meu coração! no final das contas tem muitas coincidências nessa escolha sabiam? A Madrinha se chama Débora que significa Abelha ( abelha e Mel…ela quer Amelie pra ela! ) . O filme inspiração foi lançado em 2001, ano que a Babi nasceu. Assistindo outro dia pela milionésima vez notamos que a primeira frase começa com : “Em 3 de setembro…” , pois é ! Dia que ela escolheu pra chegar nesse mundo. Sabe o que tudo isso quer dizer? Nada, claro, mas deixa a história mais romântica!

 

E você? Como escolheu o nome dos seus filhos? Tem alguma história legal envolvida nesse momento??

blogpetitninos

 

deixe com ele // sobre paternidade

paternidade ativa

fotos: Débora Silveira Fotografia

 

O peso do mundo, as responsabilidades e a rotina, tudo isso fica mais leve quando a gente divide. Parece justo e fácil, mas nem sempre é. Muitas vezes nos sabotamos e acabamos por puxar todo esse peso para as nós mesmas, subindo a ladeira com as responsabilidades nas nossas costas.

A maternidade é um experiência que muda todo o universo de uma mulher desde o início da gravidez. É o corpo dela que irá mudar, será ela que passará por toda a gestação, por toda a mudança hormonal … será que ela que trará uma nova vida ao mundo.

Por mais conectado que seja um pai durante essa experiência não dá pra negar que a nossa ligação, de mãe, com os bebês se inicia muito antes do que a dos pais.
Não se trata aqui de dizer quem “vale” mais para o bebê e sim de constatar que : é fato que é a mãe que tem uma ligação maior com bebê nesse início.
São os meses de gestação, depois a amamentação e os maiores cuidados que geralmente ficam concentrados nas mãos da mãe. Claro que há as situações de exceção mas no geral, é assim que funciona.
Por natureza, muitas mulheres tendem a tomar para si essas responsabilidades e por estarmos no controle acabamos atropelando as investidas dos pais e assim, aos poucos, podemos contribuir para “minar” a conexão entre bebê e o pai.

 

paternidade ativa

 

Não é por mal que o fazemos mas eu mesma sempre acreditei que faço tudo mais rápido e melhor do que meu marido, acho que você deve achar o mesmo. E se por aí é diferente ( wow, ainda bem!) sei que conhece casos como o meu.
Conversando com uma amiga outro dia falávamos justamente sobre isso, como muitas vezes acabamos inconscientemente tirando oportunidades dos pais exercerem as mesmas funções que nós.
É importantíssimo não só para o vínculo entre eles mas também para que o bebê entenda que não é só a mamãe que pode atendê-lo me suas necessidades.
Incentivar que os pais tomem à frente dos cuidados com o novo bebê é benéfico para a família toda pois tira dos ombros da mãe todo o peso, principalmente do início, e isso contribui para diminuir os conflitos dessa fase.
Podemos e devemos incentivar essa ligação.

 

paternidade ativa

paternidade ativa

paternidade ativa

Deixar de lado a perfeição, não palpitar durante a realização dos cuidados, deixar o pai livre e com a total responsabilidade são maneiras ideais para que eles iniciem essa conexão.
Você terá a sensação pelo resto da vida que faz tudo melhor do que o pai do seu filho, pode acreditar em mim, mas vai descobrir que em muitas coisas ele se sairá tão bem quanto você. Não vou dizer que ele se sairá melhor só para mantermos o controle, ok meninas?? kkk

Brincadeiras à parte, deixar os pais serem pais é muito bom para todos e faz com que as tarefas com o bebê ou criança sejam melhor divididas,bem como o tempo para cada um, pai e mãe, pode ser melhor equilibrado o que deixará todo mundo muito mais relaxado e feliz durante esse início e para todas as próximas fases.

Pode ser que você precise se policiar ou dar um empurrãozinho de incentivo, não importa muito. Acredito que os fins justificam sim os meios nesses casos, ninguém é obrigado a nascer sabendo ou ter sido criado para encarar a divisão de tarefa da criação dos filhos de forma mais justa. Seria o ideal? Sim , mas não é o real. Não se culpe se acontecer com você o que com certeza acontece na maioria das vezes: talvez você precise encorajar e depois deixar que as coisas fluam.

 

Pais felizes , crianças  felizes!

Fotos: Débora Silveira Fotografia

blogpetitninos

eu te garanto

 

desafio da maternidade

A maternidade é cíclica. Voltas e voltas para sempre se viver a mesma coisa. Há amor que sobre mas os perrengues estarão sempre lá. A gente vai dizer que ama tudo mas vai esbravejar muitas, muitas vezes quando o cansaço chegar. E daí? Reclamar faz parte da vida e nada tem a ver com querer sair de onde está. A gente nunca vai querer trocar de lugar.

Quando a gravidez começa e com ela os enjoos,  parece que nunca mais vai acabar e no entanto acaba. Vamos reclamar sim mas também contar a novidade pra todo mundo. No final dela,

as dores lombares e todo o peso nas pernas vão judiar do nosso sossego, vamos desejar com todas as forças que esses dias acabem pra depois repetir o resto da vida : ” que saudade da barriga”.
Então chegará aos braços aquele ser pequeno e o mundo tem um recomeço, ganha um novo sentindo.
Ele chora, a gente chora. Tantas coisas novas nesse relacionamento recém-nascido. Não tem como não amar, mas possivelmente vai surgir o desejo de ver tudo acabar, noite insone ou outra…em uma crise de cólica e outra também, vamos desejar que cresçam. Vai dar uma super vontade de avançar muitas casas no jogo da vida.

desafio da maternidade

Vai passar e a medida que os bebês crescem eles testam nossa paciência, nossos limites pois eles precisam descobrir até onde podem ir e encontrar seu lugar entre nós, daí aparecerão os terrible 2,3,4,5 … amiga, não tem fim! Também vai passar e lembra dos enjoos e as dores no corpo? Vamos sentir saudades como nos outros ciclos.
Ah, sabe o teste de paciência e limite, aquela fase em que a gente parece que vai enlouquecer onde objetos são arremessados e olhares desafiados? Então, tudo se repete na adolescência ( pré,início,meio e fim…sinto informar), é como voltar aos anos de terrible 2 só que agora o protagonista argumenta e questiona tudo, mas vai passar né?
Bom, não posso ir mais longe, mais do que até aqui eu não vou poder falar, não vivi ainda pra voltar e de contar mas acho que vai passar.
Como toda fase e todo ciclo tem sua beleza e sua tormenta, a maternidade é infinitamente linda e ao mesmo tempo difícil.
Eu não quero trocar de lugar, você não vai querer trocar de lugar, não de verdade.

desafio da maternidade

Vai passar e vamos sentir tanta saudade do que já foi, por isso não adianta se desesperar nos momentos mais difíceis, é só olhar por cima do ombro e ver que logo ali, ontem, a situação era parecida e ainda assim você já sente falta do cenário e do personagem principal.

 

um beijo

FACEBOOK  II  PINTEREST  II  INSTAGRAM

favicon blog petit ninos

3 coisas que ninguém te contou sobre pós-parto

 

vida sexual após os filhosshutterstock.com

A mulher engravida e todos falam sobre as delícias da maternidade. Comentam sobre a sensação maravilhosa de gerar uma vida (e esquecem de dizer que ela vem acompanhada de dores nas costas, sono, enjoos). Também dizem que os filhos são corações fora do corpo e que o amor é infindável – sem mencionar que o cansaço também!

A verdade é que a gente cresce ouvindo uma versão romanceada da maternidade. É só na hora que o bebê nasce que muitas mulheres percebem quanto não estavam preparadas para aquela mudança. Eu mesma achei que o mais difícil que eu precisaria aprender era virar o corpinho molhado da Babi na hora do banho… Hahaha!

Difícil mesmo são os primeiros meses com o bebê. O pós parto é um período muito delicado de adaptação tanto para o bebê, quanto para a mãe e o pai. O cansaço bate, o casamento esfria e a rotina muda. Os hormônios estão loucos tentando voltar aos seus lugares de origem, os peitos vazando leite e ainda há os desafios do início da amamentação – tema que, felizmente, todo mundo tem uma experiência para trocar, um palpite para dar ou um produto/serviço para indicar. Já notaram isso?

Mas há um outro lado do início da vida com um bebê que ninguém me contou – e ele tem relação com o seu casamento. Prepare-se para ouvir algumas verdades!

1- Você não vai querer transar.

Não é nada pessoal contra o seu marido. Se o Ryan Reynolds aparecer só de toalha no seu quarto, é capaz que você nem perceba (e, se perceber, vai pedir para ele buscar uma fralda no criado mudo). Nos primeiros meses com um bebê, nossa cabeça e nosso corpo estão uma bagunça. Você se sente exausta, tenta entender o novo papel e, muitas vezes, odeia o que vê no espelho. Parece que nunca mais na vida você vai sentir desejo de novo – ao contrário do seu parceiro, que está riscando na agenda quantos dias faltam para o resguardo acabar.

2- Na primeira vez que você tiver relação sexual depois do parto, pode parecer que voltou a ser virgem.

Sim, pode doer. E, má notícia: pode ser que as coisas não melhorem nem na segunda nem na terceira vez. Um dos motivos para esse problema é a falta de lubrificação – e ela pode acompanhar você até quando parar de amamentar. Isso mesmo! A prolactina, hormônio da amamentação, inibe a produção de estrogênio pelo ovário. Um dos papéis desse estrogênio é manter o revestimento da vagina úmido e saudável. Por isso o ressecamento vaginal é bem comum nessa fase. Pelo menos 70% das mulheres que amamentam sentem essa sensação de “secura” – e que não necessariamente está relacionada à falta de desejo. Por mais que você esteja excitada, seu corpo simplesmente não umidifica! É uma questão fisiológica! Por isso, para facilitar na hora, é importante lubrificar. E não precisa parar no meio do ato para passar lubrificante. Existem hidratantes vaginais que melhoram o problema, deixando a vagina hidratada por até três dias. Pergunte para o seu médico e faça o teste. Você pode solicitar uma amostra grátis do hidratante Vagidrat pelo site . Sinceramente? Esse tipo de produto praticamente precisa estar na lista de compras do enxoval do bebê!!! hahaha

3- Voltar a ter relação sexual vai te ajudar a se encontrar.

Quando o bebê chega, parece que nada nunca mais será como antes. De fato, um bebê muda muito a rotina, mas a gente não deixa de ser a pessoa que éramos, de curtir as coisas de antes. Portanto, vai chegar um momento em que você sentirá necessidade de sair da “bolha” da maternidade. Você vai querer se reencontrar!!! E seu parceiro pode te ajudar muito nessa hora. Voltar ao sexo – e ter prazer – faz parte do processo de se despir do papel de “mãe” e voltar a ser mulher – mas na versão com upgrade, claro.

 

publicidade 2

 Não se esqueça, essas alterações podem acontecer com qualquer uma de nós e aos poucos tudo vai se ajeitando, retornando aos seus antigos lugares ou tomando novas posições afinal, a vida é isso mesmo, né? Vamos nos reinventando todos os dias.  Te convido a solicitar uma amostra grátis do hidratante Vagidrat : www.vagidrat.com.br

favicon blog petit ninos

começando o ano

o ciúme do irmão mais velho

Começamos 2016 sendo 5 – ciiinco – e falar de como a chegada da pequena alterou toda a nossa vida, rotina e expectativas , nesse momento, é quase inevitável.

Realmente o caos foi muito menor do que eu previa, aliás, ela veio para me provar que eu posso “dar conta” de muito mais do que eu imaginava, e superação foi minha palavra de ordem desde que a temos conosco.

De todas as mudanças a que mais me inquietava era saber que o Theo perderia seu posto de caçula e os sinais que ele vinha dando não eram dos melhores. Tive medo de dias turbulentos.

ciúme entre irmãos

Não posso dizer que as coisas aqui foram simplesmente tranquilas, houve sim uma mudança de comportamento. Ele passou uns dias bem manhoso, teimoso e até um pouco agressivo com a gente. Isso aconteceu só comigo e eu marido, com a Mel ele sempre se mostrou carinho.

Carinhoso até demais!! Nos últimos dias tenho que ficar sempre de olho pois ele anda amando muito a interação com ela agora que a pequena corresponde aos olhares, grita e sorri muito quando ele passa e se mostra muuuito interessada nos brinquedos – dele – que são apresentados à ela.

Agora, como digo, tenho que viver com um olho no peixe e outro no gato, morro de medo de que ele coloque algo na frente dela que seja pequeno e que ela possa levar à boca.

Acho que as dicas que eu segui para amenizar o impacto da chegada do bebê na vida dele foram ótimos e fizeram toda a diferença para que tudo não fosse pior. Mesmo ele sendo mais velho, se mostrou sim “incomodado” no início, imagino que deva ser um pouco mais dramático para as crianças menores, pois compreendem menos as coisas e o ciúme é inevitável.

Vamos lá então, se você está grávida e  está preocupada com seu primogênito :

  • inclua seu filho nos preparativos para a chegada, parece óbvio mas é uma coisa que exige muita paciência já que no final da gestação estamos, em geral, cheias de coisas na cabeça, mas escolher alguns itens nas compras, auxiliar na arrumação das gavetas pode ser um momento agradável para vocês.
  • o mesmo vale para os cuidados com o bebê quando ele chega em casa, não é tarefa fácil e exige paciência incluir o mais velho nas pequenas coisas do dia a dia. Ele pode ajudar com a troca de fraldas, com a troca de roupas e até com o banho.
  • converse com o mais velho desde o início da gestação, mostre como ele é importante e como ter um irmão é algo maravilho, como eles poderão ser amigos e quantas brincadeiras virão pela frente. Deixe-o seguro de que o lugar dele é só dele…aliás, incentive toda a família a fazer o mesmo!!

Essas dicas parecem bem óbvias, mas no dia a dia e na correria acabamos esquecendo de praticar…esse trabalho deve acontecer todos os dias , antes e depois da chegada do bebê.

amenizar o ciúme do irmão mais velho

Por aqui seguimos vivendo dias mais tranquilos mesmo ainda com alguns episódios de ciúme, tento contornar sempre com paciência.

Acompanhe nosso dia a dia pelo Instagram!! Clica Aqui : @blogpetitninos .

um beijo,

favicon blog petit ninos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...