deixe com ele // sobre paternidade

paternidade ativa

fotos: Débora Silveira Fotografia

 

O peso do mundo, as responsabilidades e a rotina, tudo isso fica mais leve quando a gente divide. Parece justo e fácil, mas nem sempre é. Muitas vezes nos sabotamos e acabamos por puxar todo esse peso para as nós mesmas, subindo a ladeira com as responsabilidades nas nossas costas.

A maternidade é um experiência que muda todo o universo de uma mulher desde o início da gravidez. É o corpo dela que irá mudar, será ela que passará por toda a gestação, por toda a mudança hormonal … será que ela que trará uma nova vida ao mundo.

Por mais conectado que seja um pai durante essa experiência não dá pra negar que a nossa ligação, de mãe, com os bebês se inicia muito antes do que a dos pais.
Não se trata aqui de dizer quem “vale” mais para o bebê e sim de constatar que : é fato que é a mãe que tem uma ligação maior com bebê nesse início.
São os meses de gestação, depois a amamentação e os maiores cuidados que geralmente ficam concentrados nas mãos da mãe. Claro que há as situações de exceção mas no geral, é assim que funciona.
Por natureza, muitas mulheres tendem a tomar para si essas responsabilidades e por estarmos no controle acabamos atropelando as investidas dos pais e assim, aos poucos, podemos contribuir para “minar” a conexão entre bebê e o pai.

 

paternidade ativa

 

Não é por mal que o fazemos mas eu mesma sempre acreditei que faço tudo mais rápido e melhor do que meu marido, acho que você deve achar o mesmo. E se por aí é diferente ( wow, ainda bem!) sei que conhece casos como o meu.
Conversando com uma amiga outro dia falávamos justamente sobre isso, como muitas vezes acabamos inconscientemente tirando oportunidades dos pais exercerem as mesmas funções que nós.
É importantíssimo não só para o vínculo entre eles mas também para que o bebê entenda que não é só a mamãe que pode atendê-lo me suas necessidades.
Incentivar que os pais tomem à frente dos cuidados com o novo bebê é benéfico para a família toda pois tira dos ombros da mãe todo o peso, principalmente do início, e isso contribui para diminuir os conflitos dessa fase.
Podemos e devemos incentivar essa ligação.

 

paternidade ativa

paternidade ativa

paternidade ativa

Deixar de lado a perfeição, não palpitar durante a realização dos cuidados, deixar o pai livre e com a total responsabilidade são maneiras ideais para que eles iniciem essa conexão.
Você terá a sensação pelo resto da vida que faz tudo melhor do que o pai do seu filho, pode acreditar em mim, mas vai descobrir que em muitas coisas ele se sairá tão bem quanto você. Não vou dizer que ele se sairá melhor só para mantermos o controle, ok meninas?? kkk

Brincadeiras à parte, deixar os pais serem pais é muito bom para todos e faz com que as tarefas com o bebê ou criança sejam melhor divididas,bem como o tempo para cada um, pai e mãe, pode ser melhor equilibrado o que deixará todo mundo muito mais relaxado e feliz durante esse início e para todas as próximas fases.

Pode ser que você precise se policiar ou dar um empurrãozinho de incentivo, não importa muito. Acredito que os fins justificam sim os meios nesses casos, ninguém é obrigado a nascer sabendo ou ter sido criado para encarar a divisão de tarefa da criação dos filhos de forma mais justa. Seria o ideal? Sim , mas não é o real. Não se culpe se acontecer com você o que com certeza acontece na maioria das vezes: talvez você precise encorajar e depois deixar que as coisas fluam.

 

Pais felizes , crianças  felizes!

Fotos: Débora Silveira Fotografia

blogpetitninos

3 coisas que ninguém te contou sobre pós-parto

 

vida sexual após os filhosshutterstock.com

A mulher engravida e todos falam sobre as delícias da maternidade. Comentam sobre a sensação maravilhosa de gerar uma vida (e esquecem de dizer que ela vem acompanhada de dores nas costas, sono, enjoos). Também dizem que os filhos são corações fora do corpo e que o amor é infindável – sem mencionar que o cansaço também!

A verdade é que a gente cresce ouvindo uma versão romanceada da maternidade. É só na hora que o bebê nasce que muitas mulheres percebem quanto não estavam preparadas para aquela mudança. Eu mesma achei que o mais difícil que eu precisaria aprender era virar o corpinho molhado da Babi na hora do banho… Hahaha!

Difícil mesmo são os primeiros meses com o bebê. O pós parto é um período muito delicado de adaptação tanto para o bebê, quanto para a mãe e o pai. O cansaço bate, o casamento esfria e a rotina muda. Os hormônios estão loucos tentando voltar aos seus lugares de origem, os peitos vazando leite e ainda há os desafios do início da amamentação – tema que, felizmente, todo mundo tem uma experiência para trocar, um palpite para dar ou um produto/serviço para indicar. Já notaram isso?

Mas há um outro lado do início da vida com um bebê que ninguém me contou – e ele tem relação com o seu casamento. Prepare-se para ouvir algumas verdades!

1- Você não vai querer transar.

Não é nada pessoal contra o seu marido. Se o Ryan Reynolds aparecer só de toalha no seu quarto, é capaz que você nem perceba (e, se perceber, vai pedir para ele buscar uma fralda no criado mudo). Nos primeiros meses com um bebê, nossa cabeça e nosso corpo estão uma bagunça. Você se sente exausta, tenta entender o novo papel e, muitas vezes, odeia o que vê no espelho. Parece que nunca mais na vida você vai sentir desejo de novo – ao contrário do seu parceiro, que está riscando na agenda quantos dias faltam para o resguardo acabar.

2- Na primeira vez que você tiver relação sexual depois do parto, pode parecer que voltou a ser virgem.

Sim, pode doer. E, má notícia: pode ser que as coisas não melhorem nem na segunda nem na terceira vez. Um dos motivos para esse problema é a falta de lubrificação – e ela pode acompanhar você até quando parar de amamentar. Isso mesmo! A prolactina, hormônio da amamentação, inibe a produção de estrogênio pelo ovário. Um dos papéis desse estrogênio é manter o revestimento da vagina úmido e saudável. Por isso o ressecamento vaginal é bem comum nessa fase. Pelo menos 70% das mulheres que amamentam sentem essa sensação de “secura” – e que não necessariamente está relacionada à falta de desejo. Por mais que você esteja excitada, seu corpo simplesmente não umidifica! É uma questão fisiológica! Por isso, para facilitar na hora, é importante lubrificar. E não precisa parar no meio do ato para passar lubrificante. Existem hidratantes vaginais que melhoram o problema, deixando a vagina hidratada por até três dias. Pergunte para o seu médico e faça o teste. Você pode solicitar uma amostra grátis do hidratante Vagidrat pelo site . Sinceramente? Esse tipo de produto praticamente precisa estar na lista de compras do enxoval do bebê!!! hahaha

3- Voltar a ter relação sexual vai te ajudar a se encontrar.

Quando o bebê chega, parece que nada nunca mais será como antes. De fato, um bebê muda muito a rotina, mas a gente não deixa de ser a pessoa que éramos, de curtir as coisas de antes. Portanto, vai chegar um momento em que você sentirá necessidade de sair da “bolha” da maternidade. Você vai querer se reencontrar!!! E seu parceiro pode te ajudar muito nessa hora. Voltar ao sexo – e ter prazer – faz parte do processo de se despir do papel de “mãe” e voltar a ser mulher – mas na versão com upgrade, claro.

 

publicidade 2

 Não se esqueça, essas alterações podem acontecer com qualquer uma de nós e aos poucos tudo vai se ajeitando, retornando aos seus antigos lugares ou tomando novas posições afinal, a vida é isso mesmo, né? Vamos nos reinventando todos os dias.  Te convido a solicitar uma amostra grátis do hidratante Vagidrat : www.vagidrat.com.br

favicon blog petit ninos

Trancoso -BA // Nossa Baby Moon

DSC02839

Viajar é bom demais, adoramos! Já encaramos vários roteiros “exóticos” com crianças, não tenho medo de por o pé na estrada com elas e acho que mostra o mundo aos pequenos um dos maiores legados que podemos deixar aos pequenos.

Mas vamos combinar que viajar a dois é bom demais também, né? É como experimentar um ” mini flash back” da vida antes das crianças. Se preocupar só com você, sem horários, sem correria, sem opiniões … e com silêncio. Ahhhh o silêncio, às vezes esqueço do quanto gosto dele!! rsrsr

O desejo de dar uma pausa antes da Amelie nascer e dedicar alguns dias só ao nosso casamento foi aumentando conforme percebemos o que estava por vir  e mesmo com as semanas da gestação avançadas, decidimos fazer. Uma Baby Moon ( Lua de Mel antes do Bebê nascer ) para chamar de nossa!! Mudamos os planos para um destino com poucas horas de vôo e escolhemos Trancoso na Bahia como nosso paraíso particular. Continue lendo

Angelina e Brad se casam na França

 

cover-435

Primeiro os filhos e a vida em comum, depois o casamento?

Angelina e Brad fizeram.

Acho moderno e me identifico!

Em uma cerimônia íntima na casa francesa da Família, o Château Miraval. A festa teve participação ativa dos filhos, cada um contribuiu de uma maneira, inclusive assando o bolo, além de todos ajudarem a criar desenhos que foram usados para customizar o modelito Versace que a mamãe desfilou no grande dia. Continue lendo

O Era uma vez uma princesa….

Assistindo ao casamento Real hoje,me dei conta de como a nova princesa é autêntica.
Uns a chamarão de sem graça,outros dirão que o vestido não era o que se esperava (o vestido dela lembra muito o de Grace Kelly),o que concordo.
Mas sem dúvida,ela é autêntica.Não deixou que os protocolos e a posição que agora ocupa ,afetassem seu estilo.
O casamento seguiu o que tinha de ser,teve a cara da realeza,mas ficou impressa,muito claramente, a personalidade da noiva,agora Princesa !!!
Nada de longos para as convidadas e a quantidade de chapéus foi absurdo….só vi algumas moçoilas sem o acessório!!
Um mais diferente que outro(uns lindos e outros beeem estranhos!!)

Foi lindo,sóbrio,chic demais…já sou fã do estilo dessa princesa!!

Foto fonte: http://g1.globo.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...