Proteção é liberdade!

imagem: SHUTTERSTOCK

 

Já parou pra pensar sobre isso?

A gente quer proteger os filhos de tudo e, às vezes, esse nosso instinto pode garantir a vida deles. Para mim, esse é exatamente o caso da vacinação. A gente vacina porque nosso maior desejo é que as crianças cresçam e explorem o mundo da forma que quiserem!

E vacinação é um assunto muito sério. Apesar de tantas campanhas sobre o tema, na prática, vejo muita gente meio perdida. Primeiro porque há um mito de que tudo o que é particular no nosso país é melhor. Depois por causa dos grandes mitos que surgiram ao redor desse tema. Aposto que você já ouviu sobre as reações que algumas vacinas de campanha tiveram, ou sobre a relação de vacinas e autismo ou desenvolvimento de alergias.

No começo do mês, tive uma verdadeira aula com a pediatra Dra. Ana Escobar, a convite de GSK, para esclarecermos muitos desses pontos. Como o Theo tem asma, nunca bobeio com as vacinas dele. Então já aproveitei para tirar a maior dúvida de todas: está tudo bem fazer um mix entre o calendário de vacinação da rede pública e o calendário da rede privada? Faço sempre isso! Desde que as crianças nasceram, seguimos o calendário de vacinação do sistema público e fazemos as aplicações na rede particular de vacinas para Gripe e Meningite.

Assim como eu, sei que muitas pessoas seguem esse mesmo cronograma. Aqui a vacina de gripe é de extrema importância por conta dos problemas respiratórios do Theo (e, ao que tudo indica, Mel também tem asma! A gente não pode bobear!)

No encontro, a Dra. Ana esclareceu que a principal diferença entre os calendários é que, na rede pública, o foco é a erradicação de doenças e, portanto, proteção coletiva. Já na rede privada, o objetivo é a proteção indivíduo. Ainda assim, o nosso calendário brasileiro da rede pública é um dos melhores do mundo, com uma cobertura ampla e em constante mudança para se adaptar às necessidades.

E as reações das vacinas? A verdade é que vacinas de vírus vivo (atenuado) podem, sim, desencadear alguma reação, como se fosse uma versão beeeeeeem light da doença. Quanto ao caso de alguns tipo de vacinas desencadearem alergias (como APLV), a Dra. Ana nos esclareceu que é justamente o contrário! Vacinas são um chacoalhão no sistema imunológico, um estimulante. Sendo assim, é justamente o oposto! Quanto mais estímulos o sistema imunológico recebe, mais protegidos ficamos contra alergias. Achei isso tão interessante!

No mês passado, falou-se muito em Meningite, pois foi o mês de combate e informação sobre a doença. No sistema público, temos a cobertura de vacinas contra a Meninginte C, mas nós tomamos a Meningo B e a ACWY também, no particular. Não há problemas em tomar vacinas “repetidas” – então, se você já tomou a C no sistema público pode tranquilamente se proteger tomando ACWY, ok?

O mesmo vale para as campanhas! Está com dúvidas se tomou ou não alguma dose? Tome novamente!

É muito importante mantermos a carteirinha de vacinação em dia e mostrar para as crianças que proteção nunca é assunto para depois. Quero ressaltar aqui a importância de se proteger conta o HPV. Na rede pública temos doses disponíveis para MENINAS e MENINOS entre 9 e 14 anos! Não deixe de vacinar seu filho e filha! Por incrível que pareça, na sala da Babi, que tem 16 anos, só meninas tomaram. Nenhum menino! Isso é um erro, a incidência de câncer de pênis vem crescendo a cada ano, precisamos pensar nisso e proteger meninas e meninos!

Então, não se esqueça de deixar sempre as vacinas em dia e de consulta o site da Casa de Vacinas GSK, SBIM e SBP. Neles, está disponível o calendário completo de vacinação, que deixo aqui:

calendário vacinal 2018

 

Sempre debata com o seu pediatra qual o melhor esquema para que a cobertura seja a mais ampla e dentro das condições de cada um. Nós, adultos, também devemos receber reforços para Meningites, Hepatites, HPV, Gripe (manual) e reforço de tétano a cada 10 anos, principalmente.

Proteção é liberdade – e conhecimento também! Se informe, não deixe espaço para dúvidas, o assunto parece complexo, eu sei, mas quando a gente vai a fundo nas pesquisas desmistifica-se muita coisa!

O que ficou de mais importante para mim desse encontro foi que quem pode ampliar a cobertura e se proteger com as vacinas da rede publica contribui também, reduzindo as possibilidades de essas doenças chegarem até quem não pode tomar, seja por uma questão de saúde ( algumas vacinas não podem ser tomadas por grávidas e bebês com menos de 6 meses, por exemplo) ou mesmo, financeira. Quanto mais gente imune melhor!

Sobre a GSK: www.gsk.com.br

Dra Ana Escobar: www.draanaescobar.com.br

Sociedade Brasileira de Pediatria : www.sbp.com.br

 

blogpetitninos

Comprei e não usei …

itens inuteis do enxoval de bebê

Não tem jeito, mesmo quando a gente tenta ser concisa na lista do enxoval do bebê é muito fácil pesar a mão e acabar errando em algumas compras.

São muitas opções, itens que não acabam mais e tem sempre alguém pra dizer que você PRECISA disso ou daquilo.

Minha experiência como mãe de terceira viagem me faz ver que precisamos de muito pouco, de verdade.

Nesse momento da vida em que estou hoje vejo em quanta bobeira já gastei dinheiro e no fim das contas, acabei nem usando, não achando útil ou prático.

Por isso vou gravar alguns vídeos contando para vocês o que comprei pra Mel quando estava grávida e acabei não usando.

O primeiro vídeo já está no ar e tem 4 coisas que comprei e me arrependi:

Aproveita para se inscrever no canal e curtir o vídeo!! Conta lá nos comentários qual foi o item que você mais se arrependeu de comprar no enxoval do bebê!! Sempre podemos ajudar as gravidinhas com esses conteúdos!

Te espero por lá!

comprei e não usei enxoval bebe

um beijo,

blogpetitninos

Alimentos saudáveis que devem ser evitados no primeiro ano de vida do bebê

frutas que podem causar alergias

imagem: SHUTTERSTOCK

 

Por serem altamente alergênicos, alguns alimentos que fazem muito bem à nossa saúde devem ser evitados no primeiro ano de vida.

Você sabia disso?

Conversando com uma amiga outro dia, ela me contou que o bebê dela teve uma forte reação alérgica depois de ter comido um kiwi, isso quando estava com menos de 1 ano de idade.
Fiquei assustada pois na lista de frutas indicadas pelo meu pediatra não havia o kiwi mas não havia também nenhuma menção sobre não dar e suas possíveis reações.

A Amelie já havia consumido sem problemas, aliás ela acabou consumindo muita coisa que não seria ideal para idade pois sendo a caçula e com os irmão bem mais velhos, é muito difícil de controlar o que fica ao seu alcance e muitas vezes fugiu ao meu controle essa questão.
Achei importante falar sobre esse assunto com a pediatra das crianças pois como eu também não imaginava ( mesmo tendo 3 filhos! ) algumas frutas cítricas podem causar reações alérgicas nos bebês, principalmente antes dos 12 meses de vida que não tem seu sistema imunológico fortalecido.

Conversamos sobre uma lista de frutas que são indicadas a serem evitadas no primeiro ano de vida do bebê mas claro, nem todos os bebês irão apresentar alergia caso consuma algum desses itens, mas como são muitos relatos bom não correr o risco.

Morangos já são contra indicados por conter muito agrotóxico além de ser cítrico e se juntam à lista do que devemos evitar nesse início da introdução alimentar por se tratarem de frutas que são mais propensas a causar alergia: kiwi, amoras, melão e abacaxi.

O Mel não é um vilão mas pode ser perigoso para os bebês , acontece que pode estar contaminado com a bactéria responsável pelo botulismo portanto deve ser evitado. O mesmo vale para qualquer prato com ovos e peixes crus.

E por falar em peixes, o que vem do mar também pode causar alergias, então camarões, mexilhões entre outros frutos do mar devem ser evitados nesse início.

Lembre-se sempre, é fundamental consultar o pediatra, questionar e tirar todas as suas dúvidas e o ideal é ter um acompanhamento também de um nutricionista pois esse profissional poderá indicar os caminhos com mais propriedade.

blogpetitninos

Pequeno tamanho, cuidado dobrado

 

 

São inúmeros os fatores que podem levar um bebê ao nascimento prematuro. E o que esses pequenos têm de apressadinhos, também podem ter de delicados – e não falo apenas pelo tamanho, mas de todas as sutilezas que envolvem seu nascimento e seu corpo ainda em formação.

Se um bebê a termo já demanda tantos cuidados, os que nasceram antes de 37 semanas são ainda mais suscetíveis aos inúmeros vírus espalhados pelo ar. Além de o sistema imunológico não estar completo, um dos problemas mais sérios é a imaturidade do

pulmão. E é por causa dela que tantos prematuros são facilmente acometidos por doenças respiratórias e infecções causadas pelo VSR (Vírus Sincicial Respiratório) – que é facilmente encontrado por aí (principalmente entre o outono e inverno) e responsável por grande parte das bronquiolites.

Os sintomas iniciais da infecção causada por esse vírus se parecem com os de um resfriado comum: febre e coriza. Em casos mais graves, podem ser acompanhadas de tosse mais profunda e frequente, respiração difícil (incluindo chiado), unhas e lábios azulados. E a infecção pelo VSR é contagiosa e, nos casos de bebês de risco (prematuros, cardiopatas e broncodisplásicos), pode ser fatal! Por isso, é tão importante imunizar os pequenos nas épocas corretas do ano, de acordo com o nascimento deles. Saiba mais sobre isso em www.prematuro.com.br e não deixe de consultar seu pediatra a respeito desse assunto! Além disso, a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIM) preparou um calendário de vacinação específico para bebês prematuros – clique aqui e confira.

Além da vacinação, siga essas dicas para manter a saúde de seu bebê (prematuro ou não) a salvo de infecções respiratórias:

-Evite ambientes fechados e aglomerados de pessoas;

-Mantenha a casa arejada;

-Evite contato com pessoas doentes (principalmente com resfriado ou gripe);

-Lave as mãos antes de tocar no bebê e antes de alimentá-lo;

-Lave regularmente utensílios e roupas do bebê;

 

Para saber mais sobre os cuidados com a saúde do bebê prematuro, clique em : www.prematuro.com.br

 

blogpetitninos

Agora é a vez do seu Bebê JOHNSON´S brilhar!

prpmoção bebê johnsons

 

Bebês são lindos, cheios de graças… cada um é único e, para a gente, são estrelas absolutas!

Lembram da Promoção Bebê JOHNSON’S®! Essa campanha está de volta após seis anos, e agora com milhares de prêmios instantâneos. A dinâmica da promoção, que escolhe a criança que irá participar da propaganda da marca, está um pouco diferente. Agora, em vez do antigo sistema de votação, três bebês serão sorteados para participar de uma propaganda da marca e serão

contemplados com R$ 10 mil cada!

 

Além dos três grandes prêmios, serão distribuídos milhares de vale-brindes no valor de R$ 200, totalizando mais de R$ 400 mil em prêmios instantâneos.

Participar é bem fácil: a cada R$ 25 em compras de produtos JOHNSON’S®, DESITIN® e COTONETES®, o consumidor que cadastrar seu cupom no hotsite da campanha (AQUI) recebe um número da sorte para concorrer aos prêmios.

promoção bebe johnsons

No site há também todo o regulamento da promoção e ainda há outras duas maneiras dos participantes garantirem números da sorte adicionais:

– compartilhando, uma única vez, a foto de seu bebê em seu perfil pessoal do Facebook, por meio do hotsite da promoção,

– fazendo a recompra de R$ 25 em produtos das linhas JOHNSON’S® e COTONETES® ou uma unidade de DESITIN®, totalizando compras de, no máximo, R$ 2 mil por participante. Os três vencedores serão escolhidos por sorteio, a ser realizado no dia 9 de novembro de 2016.

Não deixe sua estrela mirim de fora dessa ! Cadastre seus produtos e participe! A promoção já

está acabando, encerra dia 31 de outubro em todo o território nacional. Então, corra!!

 

Visite o site para mais informações : [ www.bebejohnsons.com.br ]

favicon blog petit ninos

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...