Por que NÃO furamos a orelha do bebê

 

furar a orelha do bebê

 

Como muita gente que nos segue nas redes sociais já deve ter percebido, Amelie não tem as orelhas furadas.

Como nem sempre está de laço na cabeça ou vestindo rosa tornou-se comum muitas pessoas a chamarem de “ele”. Aliás, isso até já me incomodou um pouco mas hoje, nem ligo mais.

Babi teve as orelhas furadas com uma semana de vida, em casa pois nos pareceu mais aconchegante. Ainda se fazia esse procedimento nas maternidades, mas eu não quis. Me lembro da dor que senti no estômago, como um soco, quando a ouvi chorar. Por mais rápido que tenha sido, ela choramingou, sentida, por horas depois.Eu tinha 20 anos e seguir a tradição me parecia a forma correta de proceder. Se todo mundo faz, farei também.

Ainda assim, me lembro de tudo aquilo ter me parecido bem brutal, uma violência mesmo, com quem não tem como se defender, tudo em nome de uma cultura.

Hoje, Babi tem outros furos na orelha por escolha dela e aos quase 15 anos em breve furará o tragus, a parte redonda no centro da orelha e que deve doer mooooooiiiito para furar. kkkk

Agora você deve estar se perguntando qual o motivo que nos levou a fazer essa escolha com a Amelie agora sendo que Babi já passou por isso,né?

Não somos radicais, tanto que, assim que soube que estava a caminho mais uma menina a vovó providenciou lindos brincos de ouro e eu nem cogitei fazer diferente.

Com as minhas pesquisas para o parto natural esbarrei logo em algumas questões de violência contra bebês nos procedimentos subsequentes ao nascimento e como eu teria um parto respeitoso, ela teria uma acolhida da mesma forma.Decidimos não furar a orelha pelo menos nas primeiras semanas.

furar a orelha do bebê

 

Então, chegou o dia da nossa consulta com a pediatra do Theo, que é também acupunturista e ela me explicou que não há de errado em fazer os furos, apenas aconselhava esperar mais pois, o lóbulo era muito pequeno ainda para que ela localiza-se o “ponto neutro”, a parte da orelha que pode ser furada sem perda energética. Nós seguimos muitos preceitos da medicina chinesa, acreditamos e já obtivemos muito sucesso com alguns tratamentos para as alergias do Theo então, aquele conselho foi recebido como uma ordem: Nada de brincos por pelo menos 6 meses.

Só uma rápida explicação do ponto de vista da acupuntura as orelhas são microssistemas ligados ao corpo, são a representação dele, ou seja, cada local corresponde a uma área, função ou órgão. Encontrar o ponto neutro ou a área que não afetará o funcionamento do corpo evita a desarmonia do mesmo. Furar locais impróprios pode levar a dores de cabeça, garganta, irritabilidade e etc.

Entendeu agora? Para evitar tudo isso resolvemos seguir a linha da medicina chinesa, da acupuntura e por hora não fazer furo algum.

Os 6 meses já viraram 9 e eu ainda não tenho mais coragem de fazer ( não quer dizer que ainda não faça!!) porque quando a levo tomar uma vacina explico que vai doer um pouco mas que é para o bem dela. Como vou explicar a dor dos furos? Vai doer mas é para a sua beleza? Para minha realização? Para usar esses brincos de ouro que estão na caixinha guardados? Difícil, né?

Bom se mesmo sabendo de tudo isso a sua opção for fazer os furos e colocar brincos saiba de algumas maneiras corretas para fazer isso e evitar problemas e inflamações:

 

-Procure um profissional especializado, farmácias ou ainda existem clínicas que fazem isso inclusive atendem em casa, já há um tempo que esse procedimento não é mais feito nas maternidades

-Os brincos devem ser de material nobre como ouro ou o aço cirúrgico como chamam o aço inoxidável para evitar inflamações e muito cuidado com os modelos com pérolas ou pedras que podem se soltar! O ideal paraa segurança dos bebês é que o brinco seja uma peça única.

-Cuide muito bem da higiene do local nas semanas seguintes ao furo para que não acha inflamação ou contaminação por bactérias, você pode fazer isso usando o álcool 70, girar o brinquinho levemente é uma boa opção.

-Procure um acupunturista para que o local ideal seja localizado!

 

um beijo

favicon blog petit ninos

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 ideias sobre “Por que NÃO furamos a orelha do bebê

  1. Furei a orelha da Valentina com um acupunturista aos 45 dias de vida. Me arrependo. A algumas semanas ela vinha tirando o brinco e colocando na boca, tirei o brinco e sentenciei: Ou para de colocar na boca ou não coloco mais brinco!

    Outro dia perguntei e ela disse que não quer colocar. Está sem brinco! Seja como ela quiser 😉

  2. Ainnnn…
    Furei as orelhas da Stella com um mês. A pediatra dela, que segue a linha homeopata, falou para fazer só a partir do 6º mês. Mas como eu ia aguentar tudo isso? Talvez tenha sido um pouco egoísta. Tanto que só pensei o seguinte: minha mãe fez em mim na maternidade, eu morro de medo de fazer furos então quanto antes fazer nela melhor, estava louca para usar os brincos de ouro que tinha sido presente da minha mãe pra mim, em seu último Natal com a gente (rimos feito criança qd abri e percebi que era um par de brincos de bebê e minha mãe disse: ah, então guarda para usar na sua filha).
    Nem cheguei a pesquisar sobre o assunto, pois sabia que encontraria informações como essas no seu post e aí eu não faria. Mas agora lendo o seu post, não tenho nem arrependimento, pois além desses cuidados ao final, procuramos uma clínica, a profissional foi até a nossa casa e foi tudo muito hiper tranquilo, a Stella sequer chorou. Ela primeiro usou o brinco usado para o furo e em seu batizado trocamos para o brinco presente da avó que até hoje não consegui trocar rs. Ela já tem um de pérola tb. Enfim, adorei seu post, acho que não escrevi sobre o processo do furo da Stella lá no Bossa Mãe….acho que vou escrever e indicar o seu como inspiração. 🙂
    Seu blog tá lindo, Mari, como você e sua família.
    um beijo
    Gabi
    Bossa Mãe

  3. Tenho uma bebê de 1 mês e a decisão de não furar foi tomada muito naturalmente por mim e pelo marido ainda na gravidez.
    Tenho vários piercings e tatuagens e os acho tão meus, tão individuais que a gente só se deu conta de que era uma pauta quando a família perguntou.
    Vou deixá-la decidir, quando eu conseguir explicar o processo. Se ela tiver disposta que fala.
    Mas nesse caminho de questionamentos a única coisa que me irrita é gente que fala que tem que fazer cedo pq não doi. Parece que a criança é dormente! As pessoas tem uma super pena de dar vacina e não de furar a orelha, não dá pra entender.

    • E tem que ser natural mesmo! Pra mim tb foi…não me sinto bem quando penso em furar, seria por pura pressão, não por ideal, então…nada de furos ainda!! bjo

  4. Oi Amanda, que bacana ler seu depoimento! É incrível como em pouco tempo mudamos tanto de opinião, não é mesmo? Olha aí você entre Psicologia, Biologia e optando enfim por Publicidade! Que bom que você teve a oportunidade de refletir um pouco e de fazer testes e conversar com pessoas bacanas, tenho certeza que esse tipo de interação lhe ajudou a sentir hoje que fez a escolha certa!

  5. Te seguindo em 3, 2, 1…
    Amei seu post me identifiquei super com você.
    Minha bebê completou 1 ano na última quinta-feira, e ainda não tirei a orelhinha dela, uma amiga comentou que se furasse seria interessante procurar um acumputurista.
    Beijos,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *