Não vivo mais sem…

coisas que a maternidade nos ensina

imagem: shutterstock.com

 

A maternidade vem para nos ensinar muitas coisas. Tem muitas lições de amor, muitos cuidados e muita entrega. A gente tem que aprender a ser “multi”. Essa, aliás, é uma das imposições que a condição materna nos faz. Fiquei surpresa com a quantidade de coisas que consigo fazer ao mesmo tempo. Definitivamente, a gente precisa ser mais de uma para não deixar a peteca cair.

O que acontece é que aprendemos coisas, vivemos emoções ainda desconhecidas e passamos a usar habilidade de novas maneiras.

Agregamos muitas coisas à vida depois da chegada de um bebê, uma novidade ali e outra aqui, pronto, a nova vida vai surgindo e o seu “eu” de antigamente passa a se adaptar a essa realidade, pouco a pouco descobrindo maneiras de sobreviver a tantas emoções.

E bota emoção nisso! A maternidade já me fez levar cada susto e fazer cada coisa engraçada. Analisando de fora penso que, para muitas amigas sem filhos, alguns dos meus comportamentos devem ser no mínimo estranhos, para não dizer bizarros.

A gente passa a analisar as superfícies dos lugares, procurado algum degrau potencialmente perigoso, a limpeza desses lugares, olha em volta buscando os tais “pelo em ovo”… Mãe não desliga nunca.

Eu confesso que adquiri algumas habilidades engraçadas. Nunca na vida achei que meu nariz fosse ser o grande aliado do dia a dia de mãe. O olfato de mãe é um item de série indispensável, superútil. Quer ver?

Com ele você detecta de fraldas sujas a feijão queimando na panela – que, aliás, você provavelmente esqueceu enquanto trocava a fralda. Um minuto e o seu nariz te apresenta dois fatos acontecendo a sua volta de uma só vez.

(Ah, com ele você vê que cheiros são tradução de amor – até os não tão bons!. Cheiro de cangote e chulézinho de bebê…viciam!)

A gente aprende a sentir o cheiro de alimentos que já não estão bons… Fato é que o nariz de mãe é treinado pra evitar problemas: uma questão de proteção e uma habilidade que poucos pais têm.

Útil pra vida toda, pois, mais pra frente, depois que o bebê crescer, você ainda continuará treinando, buscando por meias sujas e pratos de comida no quarto – ou ainda quando sua filha “assaltar” seus perfumes antes de sair com os amigos.

É, minha amiga, olfato é um grande poder materno! Esse é meu grande aliado na maternidade!!

Falando nisso, a Pom Pom fez um vídeo muito legal – e engraçado, pq temos que aprender a rir de nós mesmas – com a Mia Mello, confere aí. Você sabia que os seus pés também podem ser grandes aliados no dia a dia?? Dessa eu já sabia!

Muito a nossa vida, né?

E você? Me conta qual é o seu maior aliado!!!

 

favicon blog petit ninos

publicidade 2

foi um susto…

 

theo internado 4

Foi sim, mas já está passando. O pior já passou.

Theo, asmático e alérgico, já estava há duas semanas com uma tosse chata e teve o que acreditávamos ser duas viroses seguidas nesse período. Depois de algumas visitas ao PS ( nossa pediatra está viajando), alguns medicamentos e nenhum raio X do pulmão -pois depois de analisar diferentes médicos acharam desnecessário, estava tudo limpinho como disseram – voltamos pra casa.

Na terceira semana ele reclamou de dor no peito e em seguida nas costas, meu alerta ligou.

Corremos para o PS e foi diagnosticada a Pneumonia, tratamos com antibióticos por exatos 7 dias em casa. Tudo parecia bem com ele, estava mais animado e brincando. Mel também estava doente, uma gripe, e na manhã que o remédio dele acabou decidi levá-los ao PS novamente para que a Mel fosse examinada e claro, aproveitando para dar uma olhada nele.

Assim que chegamos notamos que a febre dele havia voltado, eu não percebi isso em casa e na hora em que o médico examinou eu já sabia que algo estava errado só de olhar para a expressão dele. 🙁

Depois de uma tomografia foi um corre corre geral.

Ele teve um derrame pleural, nada mais do um acúmulo de secreção na membrana que envolve o pulmão. Uma inflamação e precisaria de uma cirurgia para limpeza e introdução de um dreno que garantiu que nenhum líquido mais acumulasse ali.

Theo internado 1

Olha, meu mundo caiu naquela hora. Estava sozinha com um bebê e um menino assustado que já entende muita coisa! Precisamos fazer coleta para análises de sangue e introdução do acesso para a cirurgia e internação. Pensa nisso tudo sem ajuda de ninguém!

Nessa hora pedi que meu marido me encontrasse lá, mas até chegar, pareceu um eternidade. No meu desse caos todo, pois ele chorava e gritava a cada novo procedimento, Mel precisava ser medicada e fazer inalações para que os médicos reavaliassem, ela também fez raio X devido ao quadro do irmão.

Pensa num dia difícil? Então…

Ele foi operado no final daquele dia, por volta de 21:30, no Hospital Vera Cruz em  Campinas. Eu não pude ficar com ele nessa noite que ele passou na UTI e nem depois pois a Mel não podia circular pelos quartos ( visitas somente acima de 12 anos) por medida de segurança.

Eu optei por não deixá-la, como estava doentinha precisava do meu leite que, aliás, ela passou a rejeitar  depois que adoeceu- novamente – quando oferecido na mamadeira. Gritei pra minha mãe me socorrer. Ela e Bruno se revezaram nos dias de internação.

Ele ficou muito sentido nos dias que se seguiram, além de dolorido, claro. Se fechou, foi difícil ver um sorriso mesmo com muitos mimos e presentes, acompanhei tudo de perto via Skype e WhatsApp e todo final do dia passava um pouco por lá entre as mamadas da Mel.

Foram dias difíceis mas que passaram. Ele teve alta, ficou 6 dias internado e depois de realizarem testes descobriram que a bactéria que causou a infecção nele reagia bem a um antibiótico via oral.

theo internado 3

Crianças são de fato bichinhos delicados, mas têm ao mesmo tempo um grande poder de recuperação, muito melhor que nós adultos pois olhando pra ele, mesmo ainda dolorido as vezes acho que ele até já esqueceu, enquanto eu ainda sinto uma agonia pelo susto que tomamos.

Ninguém está livre de algo assim acontecer. Na hora a gente se culpa, depois sente pena, medo e dá até um pânico.

Por isso, passei agora a adotar uma nova posição, vou parar de reclamar de coisas pequenas no dia a dia, o que importa nessa vida é termos saúde e estarmos todos juntos… o resto, é resto!

Se você está passando por um momento delicado, com seu filho ou criança querida internada por algum motivo, gostaria de dividir algumas dicas para atravessar melhor por esses dias tão turvos para qualquer família:

  • Não minta para a criança jamais.Não diga, por exemplo, que não vai doer e sim explique de forma adequada para cada idade os procedimentos que serão feitos nela.Promova a empatia com a equipe que cuidará dela,mostrando que todos estão ali para o bem , para ajudar.

 

  • Seja forte por vocês dois mas também divida seus sentimentos, não somos de ferro e nossos filhos precisam saber disso, a ideia é mostrar que se sente chateado com a situação mas que juntos superarão tudo isso.

 

  • Interaja muito durante esse período, faça planos para depois dessa fase, passeios e brincadeiras. Livros e desenhos são ótimas maneiras de ajudar as crianças a colocarem pra fora o que sentem, estimule a imaginação.

Theo internado 2

Com fé e amor todos os problemas pode ser superados e lembre-se, esses pequenos são mais fortes do que nós!

um beijo e um abraço apertado!

favicon blog petit ninos

Especial Beto Carrero World : # Como Chegar

dicas para viajar de avião com bebês

 

O Beto Carrero World  fica na cidade de Penha em Santa Catarina como já contei aqui.

Na nossa ” estreia” , dois anos atrás, escolhemos ir de carro, ainda não tínhamos a Mel e nessa segunda oportunidade, fomos voando.

Optamos por um que voo saiu de Guarulhos e não demorou mais do que 50 minutos, muito rapidinho portanto uma ótima opção para quem está com bebês ou crianças menores.

 

Image3

 

Viajar com os pequenos pode assustar muita gente, tendemos a carregar o mundo nas costas mas há maneiras de simplificar as coisas e sem dúvidas, informações são aliadas na hora de aliviar o peso das malas.

Para isso, se programe buscando informações no local que você se hospedará, liste o que você levaria e verifique se é possível encontrar esses itens no seu hotel, por exemplo. Utilidades para a alimentação dos pequenos como mixer, talheres e etc. Parece óbvio mas na hora de montar as malas acabamos carregando coisas que não são usadas ou que já encontramos no hotel escolhido, então pense em tudo que você precisará e na dúvida, verifique se pode ser encontrado lá. Outra dica bacana é: invista em produtos portáteis. Mamadeiras precisam ser esterilizadas, certo? Opte por modelos descartáveis como os saquinho esterilizadores para mamadeiras, eles não ocupam quase espaço, podem ser reutilizados algumas vezes antes de ser descartados.

 

dicas para viajar de avião com bebês

Mesmo com essas dicas quem viaja com bebês acaba sempre tendo que levar itens extras, a gente nunca sabe o que pode acontecer, e é normal ficar tensa quando se opta por uma viagem de avião e não de carro, onde abrimos o porta malas e colocamos a vida e pronto!

Pensando nisso e baseada em algumas dúvidas minhas e de amigas ( que aliás estiveram nessa trip comigo :  Lo do Bagagem de Mãe e Rê e Kiki do  For Mães) fiz uma lista de dicas para quem vai voar com bebês.

Preparando a viagem!

  • Comprando as passagens. Uma viagem já começa na hora de comprar as passagens, não é mesmo? Para garantir o sucesso da viagem uma boa ideia pode ser escolher voos que coincidam com os horários da soneca dos pequenos ou ainda optar por voos noturnos, fica bem mais fácil quando eles embalam no soninho.
  • Documentos: Para voos nacionais basta o registro de identidade ou certidão de nascimento, para destinos internacionais. claro, passaportes válidos. Caso apenas um dos pais viaje com a criança para sair do Brasil é necessário uma autorização especial, saiba mais aqui.
  • Na hora do Check-in. Famílias com bebês têm o direito ao check in preferencial ou prioritário direto no balcão, utilizamos a Gol Linhas Aéreas, empresa que nos levou até o Beto Carrero World e foi bem tranquila nossa experiência. Rápido e Fácil.
  • No colo ou na poltrona? Bebês até dois anos podem viajar sem custo em geral, desde que sentados no colo de um dos pais, uma criança apenas por adulto dividindo o assento. Na hora de marcar suas poltronas opte com viajar nas fileiras da frente que possuem maior espaço e em alguns casos permite a utilização do bercinho. Caso não seja possível há a opção dos assentos maiores, no caso da Gol Linhas Aéreas, são os assentos +comfort0, com 10 cm a mais de largura. Testamos e faz bastante diferença quando se está com alguém no colo!
  • Bagagem, desmistificando algumas questões. Amelie viajou no meu colo e portanto não teve direito a despachar mala em seu nome. Estávamos em 5 pessoas porém com 4 malas, mais 4 malas de mão e a bolsa do bebê. Compartilhar espaço nas malas é uma super dica. Os meninos dividiram uma mala média e cada uma de nós,meninas, levou uma mala pequena. Essa regra vale para voos nacionais. Para maior comodidade em voos internacionais algumas empresas disponibilizam a franquia de bagagem para bebês inferior a 2 anos. Você pode despachar bagagem com até 10 kg para todos os destinos.
  • Carrinho e Bebê Conforto ( cadeiras de auto and booster ), o que pode? Carrinhos não contam como bagagem portanto você pode despachar com tranquilidade ou levá-lo com você até a aeronave e ele te será entregue normalmente na esteira, junto com as demais bagagens, o carrinho não precisa ser compacto ou do tipo guarda-chuva, esse procedimento serve para qualquer modelo, apenas lembre de informar a quantidade de peças em que o seu modelo se desmonta para que tudo seja etiquetado evitando que se extraviem. No balcão da Gol nos informaram que poderíamos despachar até 2 volumes ” especiais” ou fora de padrão por passageiro, isso inclui as cadeirinhas de carro por exemplo. Eles embalam e etiquetam tudo na hora do check in. Vale a pena levar um canguru ou sling na mala de mãe assim você ficará com as mãos livres até pegar o carrinho na esteira quando chegar ao seu destino.
  • Papinhas, fórmula infantil, fruta… o que posso levar? Fique tranquila quanto a questão da alimentação dos bebês, você pode levar porções pequenas, para o consumo durante o trajeto e o restante pode ser despachado dentro das demais malas. Vale para papinhas caseiras e industrializadas, para leite e para a frutinha do bebê.

É hora de embarcar! Vamos voar!

  • Dentro do avião, e se o bebê chorar?Devido a pressão tanto na decolagem/aterrissagem quanto durante o voo alguns bebê e crianças podem apresentar desconforto nos ouvidos. Chupeta, amamentação e chiclete ( para os maiores) pode ajudar muito. Eu mesma sofro com isso e não consigo voar sem fazer uso de um chiclete, conforme vou mastigando o desconforto vai passando. Não se preocupe se o bebê chorar ainda assim, as pessoas ao seu redor possivelmente são pais e mães, ou tem crianças nas família, a gente se desespera as vezes, mas o mundo nos entende!
  • Como trocar o bebê? As aeronaves possuem trocadores nos banheiros, troquei a Mel com tranquilidade e além disso encontramos trocadores nos banheiros masculinos nos aeroportos. Até que enfim!
  • Bolsa do bebê inteligente. Isso quer dizer, sem exageros mas com itens suficientes para qualquer imprevisto ou emergência. algumas trocas de roupas, quentes e mais quentinhas pois a temperatura pode variar na aeronave, fraldas, lenço umedecido,pomada, álcool gel, algumas fraldinhas ou cueiros e uma manta,alguns brinquedos e os itens para alimentação do bebê ( mamadeiras, papinhas etc.) e é mais ou menos isso que você precisará.

 

Não tenha medo de viajar com bebês, como sempre falo com organização e fazendo boas escolhas tudo é possível, além do mais os pequenos tendem a se comportar até melhor com a quebra da rotina, em lugares novos do que em casa, a gente também muda sem a rotina do dia a dia.

Se o seu destino para as próximas férias é o Beto Carrero World saiba que voar até lá é uma ótima opção, o aeroporto de Navegantes é pequeno e tudo fica pertinho, táxis e transfers bem na porta. Combinamos antes nosso traslado com a Penha Turismo que também é uma agência e oferece vários passeios pela região. Pagamos aproximadamente R$96,00 reais ida/volta.

Só para lembrar que AQUI você encontra o primeiro post sobre nossa ida ao Beto Carrero com dica de onde se hospedar e aguarde pois essa semana vou publicar muitas dicas sobre o complexo! Para acompanhar nossas aventuras pelo Instagram procure pela hashtag #GuiaDeMãe.

um beijo,

FACEBOOK  II  PINTEREST  II  INSTAGRAM

favicon blog petit ninos

 

O friozinho vem chegando e com ele…

 

tratamento gripe e resfriado infantil

imagem: shutterstock.com

Ahhh, com ele vem as inevitáveis doenças de inverno. A gama é imensa: vai de alergias a gripes e resfriados, tudo favorecido pelas temperaturas mais baixas e ambientes fechados.

É como diz aquele ditado: antes de ser mãe, o inverno são só delícias: momentos quentinhos, lareira, vinho… Depois dos filhos, se resume a idas ao pediatra e noites em claro!

E a situação pode ser ainda pior quando temos mais de um filho, pois ficamos em um ciclo vicioso gripal. Um pega e, quando está melhorando, passa para o outro, e depois para ou outro até chegar na gente! Cena de terror para mães: quando a casa toda fica gripada.

Para completar, a cada nova temporada aparece um vírus novo pra coleção. Logo, as possibilidades de sermos sorteados com mais de um ciclo de gripe, principalmente durante o outono/inverno, aumentam a cada ano.

Para evitar que as gripes ataquem a todo momento, há alguns cuidados básicos que podemos tomar:

Continue reading

Por que NÃO furamos a orelha do bebê

 

furar a orelha do bebê

 

Como muita gente que nos segue nas redes sociais já deve ter percebido, Amelie não tem as orelhas furadas.

Como nem sempre está de laço na cabeça ou vestindo rosa tornou-se comum muitas pessoas a chamarem de “ele”. Aliás, isso até já me incomodou um pouco mas hoje, nem ligo mais.

Babi teve as orelhas furadas com uma semana de vida, em casa pois nos pareceu mais aconchegante. Ainda se fazia esse procedimento nas maternidades, mas eu não quis. Me lembro da dor que senti no estômago, como um soco, quando a ouvi chorar. Por mais rápido que tenha sido, ela choramingou, sentida, por horas depois.Eu tinha 20 anos e seguir a tradição me parecia a forma correta de proceder. Se todo mundo faz, farei também.

Ainda assim, me lembro de tudo aquilo ter me parecido bem brutal, uma violência mesmo, com quem não tem como se defender, tudo em nome de uma cultura.

Hoje, Babi tem outros furos na orelha por escolha dela e aos quase 15 anos em breve furará o tragus, a parte redonda no centro da orelha e que deve doer mooooooiiiito para furar. kkkk

Agora você deve estar se perguntando qual o motivo que nos levou a fazer essa escolha com a Amelie agora sendo que Babi já passou por isso,né?

Continue reading

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...